Entrevista | Exclusivo | Reportagem

Nigéria: Dirigente do Gausiyya desmente acusações de terrorismo

001

Contrariamente ao que é referido pelo Governador do Estado de kaduna, Nasir El-Rufai, quando afirma que o Gausiyya é uma organização terrorista, o próprio grupo vem desmentir tais alegações, afirmando que aquele (o Governador) estará deficientemente informado sobre o grupo e as suas reais actividades.

Numa entrevista ao E-Global, um dos coordenadores sectoriais do Makarfi, Mr. Rabiu Yakubu, refere que pertencem ao Tijjaniya Darika e que professam estritamente os ensinamentos do Profeta Maomé, além de que a sua designação oficial não é Gausiyya.

Yakubu comentou como sendo falsas algumas das informações e queixas apresentadas pelo Governador, salientando que contrariamente às afirmações deste, o quartel-general sectorial está localizado em Zaria e não em Makarfi. Este afirmou ainda que “não culpamos o Governador pelo que afirma porque este não reside Makarfi”, além de que “… quem está a alimentá-lo com falsas informações são os mesmos que escrevem o que lhes interessa nos seus relatórios”. 
Aduziu ainda que esta facção islâmica possui um corpo colegial pacífico, que reconhece e obedece às autoridades instituídas conforme preconizado na Constituição da República Federal da Nigéria.

“Nós somos um grupo de pessoas pacíficas, nunca ocorreu qualquer questão com ninguém em Makarfi, pelo que não devemos ser considerados uma ameaça à coexistência pacífica. Nós reconhecemos e respeitamos as autoridades deste país. “O nosso líder, Ismail Ibn Isha, é um cidadão nigeriano, nascido em Zaria, e um profundo respeitador da lei vigente. Ele não é um estrangeiro”, refere Yakubu, negando quaisquer falsas alegações sobre o seu líder segundo as quais terá visões, efectuará profecias e procederá à cura de doentes.

Nega também que as orações da tarde decorrem durante a parte da manhã, por volta das onze horas, afirmando que cumprem escrupulosamente os preceitos do Profeta Maomé.

Comentando o supramencionado, o analista político Mohammed Ismail afirma que o Governador El-Rufai estará apenas a promover alguns líderes religiosos, atacando os grupos religiosos de menores dimensões, demonizando-os para justificar as suas próprias intenções “O Governador pretende apenas conquistar o coração da população e silenciar as vozes da oposição para poder implementar a sua impopular legislação”, disse.

Alguns populares afirmam inclusivamente que “residem em Kaduna mas nunca ouviram falar desse grupo até ao dia em que o Governador mencionou o seu nome. Nunca ouvi nada negativo acerca do mesmo antes dessa mesma data”.

“Qual será a ameaça que este grupo acarreta?” O Governador deveria apresentar as provas do que diz, caso sejam efectivamente verdadeiras.
No entanto, o Governador foi rápido a difundir os alegados desvios promovidos pelo grupo. No caso dos Xiitas, porque motivo permanence silencioso? Porquê? Nõs não embarcaremos no seu plano de demonização de um qualquer grupo religioso.

Iliya Kure, em Abudja

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo