Brasil

Ex-ministro Antonio Palocci condenado a 12 anos de prisão no processo Lava Jato

palocci

O juiz federal Sérgio Moro condenou, esta segunda-feira, o ex-ministro da Fazenda no governo de Lula da Silva, e ex-ministro da Casa Civil no governo de Dilma Rousseff, Antonio Palocci, a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no processo Lava Jato.

Em causa está o pagamento de subornos por parte da empresa Odebrecht, para conseguir benefícios em acordos com a empresa Petrobras. Segundo o juiz, Antonio Palocci recebeu pagamentos para atuar a favor do Grupo Odebrecht, entre 2008 e 2013, interferindo em decisões tomadas pelo Governo Federal.

Antonio Palocci encontra-se agora detido no Paraná. Para além da pena de prisão, está proibido de exercer qualquer cargo de função pública ou direção de empresas do setor financeiro, pelo dobro do tempo da pena atribuída pelo juiz Sérgio Moro.

Antonio Palocci foi preso na 35 ª fase da operação Lava Jato, designada de “Omertà”, que começou a 26 de setembro do ano passado. Esta é a primeira condenação do ex-ministro neste processo.

Na sentença divulgada esta segunda-feira constam ainda os nomes de João Vaccari Neto, Eduardo Costa Vaz Musa, Marcelo Bahia Odebrecht, Monica Moura, João Santana, de Renato Duque, João Ferraz, Fernando Migliaccio da Silva, Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, Luiz Eduardo da Rocha Soares, Olívio Rodrigues, Marcelo Rodrigues. Todos foram condenados a penas de prisão, acusados de crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Foram absolvidos os réus Branislav Kontic, ex-assessor de Antonio Palocci, e Rogério Santos de Araújo, ex-executivo da Odebrecht.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo