África Subsaariana | Guiné-Bissau | Segurança

“Esquadrões da morte” de Jammeh podem destabilizar a Gâmbia a partir da Guiné-Bissau

YahyaJammehGambia

Cerca de 300 elementos “desertores” das Forças de Defesa e Segurança gambiana, presentes na Mauritânia, têm estado em permanente contacto com o antigo presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, “exilado” na Guiné Equatorial com a sua família, revelou um relatório do serviço de informações militar senegalês que sublinha que estes militares “pretendem destabilizar a Gâmbia”.

O mesmo documento revela que os Generais Souleiman Badge e Ansumana Tamba, próximos do antigo presidente gambiano, efetuaram várias missões na Guiné-Bissau e na Guiné Conacri onde estão instalados militantes afetos ao ex-presidente Jammeh, mas também onde estão também presentes antigos “Jungulars“, considerados como os “esquadrões da morte” de Jammeh.

As autoridades gambianas e senegalesas receiam uma possível “cooperação” entre estes elementos com os fiéis de Jammeh que permaneceram nas forças armadas gambianas em Fogni-Kombo, e na administração do país, e a fação de Salif Sadio do Movimento da Forças Democráticas da Casamansa (MFDC).

Para um ministro gambiano esta ameaça não afeta apenas o seu país, sugerindo que a ameaça recai também sobre o Senegal.

© e-Global Notícias em Português
1 Comentário

1 Comentário

  1. gwrespect

    05/07/2017 at 17:36

    Que titulo pobre. ..melhor rever sua arte na escrita…..colocando em causa relaçao entre dois pais irmao.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo