Guiné-Bissau | Segurança

Sissoko quer modernizar a segurança na Guiné-Bissau e combater os engarrafamentos na capital

GuineSegurancaIMG_0969

O Primeiro-ministro da Guiné-Bissau disse que o seu executivo quer modernizar o setor da segurança, antes das projetadas reformas.

Esta segunda-feira, 7 de agosto, no ato de promoção de nove oficiais superiores das Forças de Segurança e Serviços de Informação de Estado, afetos ao Ministério do Interior, Umaro Sissoko Embaló disse que o governo “tudo fará” para dignificar as forças da segurança guineenses.

“Estas promoções são feitas no âmbito das reformas em curso no setor da segurança. Reformar não é só mandar as pessoas para casa, mas sim é mudança, é renovação. Este é um grande passo que demos hoje. As promoções irão continuar até a última pessoa no Ministério do Interior” disse e acrescentou que tem consciência clara das dificuldades com que se deparam as forças da segurança no país.

“Ministro do Estado, vamos dar-te todo o apoio necessário para modernizar o setor da segurança, antes das reformas no setor, permitindo que os polícias sejam dignificados e respeitados pela população na Guiné-Bissau” disse.

Entretanto, o Chefe de executivo aproveitou também a ocasião para criticar a atuação dos polícias de trânsito nas vias públicas.

Umaro Sissoko Embaló diz não compreender o porquê de tanto engarrafamento nas vias públicas, uma vez que, o país não dispõe de um grande número de viaturas que justifique o mesmo. Para ultrapassar esse constrangimento, o líder do executivo guineense anunciou a reativação dos semáforos nas principais artérias de Bissau.

“Enquanto primeiro-ministro, não compreendo tanto engarrafamento nas vias públicas. Não temos viaturas que justifiquem o mesmo. Falei com o Ministro das Obras Públicas e da Energia para reativarmos os semáforos nas artérias da capital Bissau” disse, adiantando que “ não é admissível aquilo que assistimos nas vias públicas. Às vezes, vejo um polícia, na via pública, a mandar estacionar mais de três viaturas. Isso cria engarrafamento e o mais curioso é que quando não está um polícia na via pública não se vê o engarrafamento. Isso não faz parte das dificuldades, mas sim do profissionalismo”.

Na ocasião o executivo guineense promoveu nove oficiais superiores das Forças de Segurança e Serviços de Informação de Estado afetos ao Ministério do Interior, entre os quais três primeiros Superintendentes da Polícia da Ordem Pública, nomeadamente, Paulo Dias, Ana Camará, Mussa Seide e seis Tenentes-coronéis, Samuel Fernandes, Mutaro Embaló, Anselmo da Silva, Allsau Sambú, Serafim Serifo Embaló e Amadu Djalo.

Tiago Seide

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo