Europa | Guiné Equatorial

Procurador francês quer que Teodorin Obiang seja condenado a três anos de prisão

Teodoro-Nguema-Obiang
Teodorin Obiang

Após três semanas de audiências no tribunal correcional de Paris, o procurador da república francês pediu que o filho do presidente da Guiné Equatorial, Teodorin Obiang, seja condenado a três anos de prisão, uma multa de 30 milhões de euros e a confiscação da totalidade dos seus bens mobiliários e imobiliários apreendidos em França, do valor de cerca de 100 milhões de euros.

A justiça francesa acusa o filho do presidente da Guiné Equatorial de branqueamento de capitais suspeitos.

“Obiang investiu mais de um milénio dos seus rendimentos oficiais em França”, ou seja, cerca de mil anos de salários, explicou o procurador financeiro Jean-Yves Lourgouilloux, especialista na luta contra a criminalidade económica e financeira, fazendo referência aos salários oficialmente declarados de Teodorin Obiang como ministro da Agricultura e das Florestas que correspondem a cerca de 80.000 dólares anuais.

Ao longo das audiência um dos advogados de Teodorin Obiang contestou a ilegalidade das somas referidas, e denunciou um “processo político” para destabilizar a Guiné Equatorial.

Por acusações semelhantes às pronunciadas em França, nos Estados Unidos Teodorin Obiang preferiu pagar 30 milhões de dólares e evitar ser alvo de um processo.

Os advogados de Teodorin Obiang vão apresentar as suas alegações em defesa do arguido esta quinta-feira, 6 de julho.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo