África Subsaariana | Economia

Costa do Marfim: Produtores de cacau começaram uma greve por tempo indeterminado

cacau

Na Costa do Marfim, parte dos produtores de cacau começou ontem, quarta-feira,  uma greve por tempo indeterminado, em protesto contra o bloqueio da produção numa altura em que os preços caíram 25% em quatro meses.

Ao redor do porto de Abidjan, camiões de cacau estão bloqueados há semanas e os agricultores assistem ao degradar da mercadoria. Ao mesmo tempo que os preços do cacau caíram acentuadamente desde o outono, os produtores não conseguem exportar toda a sua produção.

“Ninguém vem para comprar. Hoje, aqueles que vêm para comprar apenas oferecem 600 CFA enquanto o Estado fixou o preço do cacau a 1100 CFA. Esse é o problema”, afirma o presidente da União Agrícola Nacional para o Progresso, Moussa Kone. “O que nós pedimos é que esse fundo famoso seja desbloqueado para salvar a campanha.” Está previsto um fundo de reserva em caso de crise, mas o Conselho de Café e Cacau ainda não desbloqueou, alimentando rumores e preocupações, uma vez que a Costa do Marfim tem cerca de 800.000 produtores de cacau, matéria prima que representa metade das suas receitas de exportação.

A entidade reguladora oficial rejeita a existência de bloqueio. A diretora, Touré Massandjé Litse, assegura que “Houve apenas uma desaceleração devido ao pico da produção”, e apela a todos os produtores que denunciem os intermediários que compram o cacau abaixo 1.100 CFA.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo