África Subsaariana

Vinte milhões de quenianos elegem o novo presidente em ambiente de tensão e receio de violência

eleicoes (2)

Quase 20 milhões de quenianos vão esta terça-feira às urnas para escolher o Presidente, governadores, autarcas, deputados, senadores e representantes das mulheres no parlamento. O ambiente é de tensão e receio de violência eleitoral.

Para além dos dois principais candidatos, o Presidente cessante, Uhuru Kenyatta, de 55 anos, e o rival, Raila Odinga, de 72, há mais seis pretendentes à presidência do país mas, segundo as sondagens, não representam mais do que 1% das intenções de voto.

A campanha decorreu sem incidentes violentos, até ao ataque à residência do vice-presidente, William Ruto, no dia 29, e assassinato de Christopher Musando, supervisor do sistema informático da Comissão Eleitoral queniana (IEBC), cujo corpo foi encontrado com marcas de tortura, nas margens de uma floresta nos arredores de Nairobi.

Pela segunda vez, o voto será eletrónico e a credibilidade dos resultadosvai depender da fiabilidade do sistema, que assenta no reconhecimento das impressões digitais dos eleitores. Recorde-se que em 2013, uma parte do sistema falhou, levantando suspeitas de fraude no anúncio da vitória de Uhuru Kenyatta, à primeira volta.

Depois das eleições de 2007, o Quénia viveu uma onda de violência em que morreram mais de mil pessoas. A eleição será acompanhada por observadores internacionais, nomeadamente da União Africana e da União Europeia.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo