América Latina | Segurança

Guerrilha colombiana rapta dois jornalistas holandeses junto à fronteira venezuelana

ELNColombia

Dois jornalistas holandeses foram raptados por um grupo de desconhecidos no município de Tarra, na região colombiana de Catatumbo, na fronteira com a Venezuela, onde operam diversos grupos armados, confirmaram fontes oficiais.

Segundo o diário El Tiempo os reféns são Derk Bolt, de 64 anos, e Eugenio Ernmest, de 58, que estavam a investigar sobre a mãe biológica de uma jovem menor colombiana que foi entregue há vários anos para adoção na Holanda.

A região de Catatumbo é reputada por ser uma das zonas operacionais das FARC, que estabeleceram um acordo de paz e desmobilização com o governo de Bogotá, assim como da guerrilha marxista Exército de Libertação Nacional (ELN), a segunda guerrilha colombiana que também estabeleceu contactos com o Governo, mas também dos guerrilheiros sobreviventes do Exército Popular de Libertação (EPL), considerado pelo governo como uma organização criminosa dedicada ao narcotráfico.

O diário El Tiempo garante que os jornalistas holandeses foram raptados pelo ELN, quando transitavam em Filogringo, e lembra que durante os encontros em Quito, o governo colombiano impôs ao ELN, como condição para as negociações de paz, o fim dos raptos perpetrados pela guerrilha marxista.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo