Ásia

China começa nova construção em ilha disputada no Mar do Sul da China

mardosuldachina

Novas imagens de satélite revelam que a China iniciou novos trabalhos de construção no disputado Mar do Sul da China. Um sinal de que Pequim continua a fortalecer as suas forças militares através do importante canal comercial.

Vários peritos acreditam que o trabalho da China expressa a determinação em continuar a construir uma rede de recifes e ilhotas, apesar de tentar evitar confrontos com a administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Imagens captadas a 6 de Março mostram o trabalho recente que inclui limpeza do solo e a preparação para aquilo que os especialistas acreditam que sejam instalações militares.

As imagens, divulgadas pela empresa privada “Planet Labs”, dão seguimento aos relatórios de janeiro que mostravam o trabalho nas proximidades da “Tree Island” que é uma das ilhas Paracel, território que também é reclamado pelo Vietname e Taiwan.

As ilhas Paracel são um fator chave para a presença da China no Mar do Sul da China. Nos últimos anos a China tem estabelecido bases na Woody Island para ajudar a proteger as suas instalações submarinas em Hainan Island.

Zhang Baohui, um especialista em segurança continental da Universidade Lingnan de Hong Kong, diz acreditar que a China está a tentar fortalecer as suas instalações nas Paracel, e que calculou que Trump não fosse reagir devido a outras situações prioritárias.

O Ministro da Defesa da China diz não estar familiarizado com nenhum trabalho na North Island.

Um oficial dos Estados Unidos que falou sob a condição de manter o anonimato não foi capaz de confirmar novos trabalhos de construção na North Island mas referiu que não seria surpreendente se tais trabalhos existissem.

Fontes diplomáticas em Pequim dizem que a China não pretende uma confrontação com os Estados Unidos devido ao Mar do Sul da China.

Na semana passada, o ministro dos negócios estrangeiros, Wang Yi, referiu que foi concluído um projeto para um código de conduta no Mar do Sul da China e que as tensões tinham “diminuído”.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo