Ásia

Ruth Pfau “Madre Teresa do Paquistão” morre aos 87 anos

ruth pfau

Ruth Pfau, a mulher que se tornou conhecida como “Madre Teresa do Paquistão” por dedicar a sua vida a salvar a vida dos outros morreu aos 87 anos na quarta-feira, anunciou fonte médica.

O primeiro-ministro do Paquistão, Shahid Khaqan Abbasi, anunciou em comunicado que Ruth Pfau terá honras de exéquias nacionais. “Ela deu nova esperança a inúmeras pessoas e provou através do seu trabalho ilustre que servir a humanidade não conhece fronteiras”, refere o comunicado. “Estamos orgulhosos dos seus serviços exemplares, e ela permanecerá em nossos corações como um símbolo brilhante nos tempos vindouros”, enalteceu a declaração.

A cidadã alemã decidiu dedicar-se à ajuda humanitária, como médica, após os horrores da Segunda Guerra Mundial no seu país, tendo-se então juntado às Filhas do Coração de Maria, uma ordem fundada durante a Revolução Francesa. Chegou ao Paquistão, onde passou o resto de sua vida, em 1960, quando, a caminho da Índia, teve complicações com o seu visto. Nessa altura, em Carachi, visitou doentes com lepra. A médica abriu o primeiro centro do Paquistão para tratar pessoas com lepra e passou quase 50 anos a cuidar das pessoas mais doentes e mais pobres do país, ajudando a transformar a vida de mais de 60 mil pessoas

Foi fundadora da leprosaria Maria Adelaide, em Carachi, onde esteve internada nas duas últimas semanas, desde que adoeceu, e onde morreu na quarta-feira à noite, precisou o responsável desse centro médico, Mervyn Lobo.

Ruth Pfau, médica, contribuiu para a abertura de centros para leprosos em quase 150 cidades de todo o Paquistão, formando os médicos, tomando a seu cargo milhares de vítimas e ajudando à elaboração de um programa nacional para controlar a epidemia, o que lhe valeu altas distinções paquistanesas.

“Uma das mais importantes vontades no espírito da Dra. Pfau era que as [diversas] religiões trabalhassem em conjunto. Ela pensava que a maior religião era a humanidade”, disse a médica Claudia Vilani, também estrangeira, colega de Ruth Pfau.

Sua morte atraiu mensagens de condolências de todas as seções da sociedade paquistanesa, com muitos comparando a sua passagem com a do filantropo Abdul Sattar Edhi, que faleceu no ano passado.

A religiosa terá honras de exéquias nacionais.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo