Crise | Europa

Líder ucraniano “ataca” Rússia pelo fornecimento de armas aos rebeldes

poroshenko

O presidente ucraniano Petro Poroshenko exigiu na passada segunda-feira que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, parasse com o fornecimento de armas aos rebeldes, enquanto os líderes alemão e francês tentavam reestabelecer o plano de paz.

Os quatro presidentes discutiram durante duas horas por telefone na última ronda de negociações que tinha como objetivo pôr fim ao conflito que dura desde abril de 2014.

A conversa terá sido a primeira a envolver o presidente francês Emmanuel Macron desde que assumiu o poder em maio deste ano, tornando-se o principal moderador do conflito juntamente com Angela Merkel.

Na semana passada assistiu-se a um dos mais dispendiosos conflitos entre os rebeldes apoiados pela Rússia e os soldados do governo, depois de o líder dos insurgentes, Alexander Zakharchenko, ter anunciado que pretende formar um novo “estado” para substituir a Ucrânia.

Poroshenko referiu-se aos últimos dias de julho como sendo uns dos mais sangrentos de 2017 e exigiu que a Rússia “acabasse imediatamente com as ações agressivas e com o fornecimento de armas aos territórios ocupados”.

Kiev e os seus aliados do Ocidente insistem que o Kremlin enviou tropas e armas para poiar os rebeldes, mas Moscovo continua a negar as provas do seu envolvimento no conflito.

O plano de paz de fevereiro de 2015 divulgado pelos líderes da Ucrânia, Rússia, Alemanha e França na capital bielorrusa, Minsk, não conseguiu parar os confrontos no leste da Ucrânia. E, embora o acordo tenha estagnado, ainda é visto pelos intervenientes como a única maneira para acabar a guerra da Ucrânia.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo