Crise | Diplomacia | Médio Oriente

Arábia Saudita e aliados prolongam por mais 48 horas o prazo para o Qatar responder ao ultimato

Abdulaziz Al Saud

A Arábia Saudita e os países aliados anunciaram a decisão de prolongar por mais 48 horas o ultimato feito ao Qatar para cumprir uma lista de 13 exigências, a pedido do mediador do Kuwait na crise do Golfo.

De acordo com um comunicado publicado pela agência oficial saudita SPA, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Egito aceitaram prolongar o ultimato após o Qatar ter anunciado que vai entregar esta segunda-feira, ao emir do Kuwait, a resposta às exigências apresentadas.

Os quatro países do Golfo, e mais tarde outros países como o Iémen e a Líbia, anunciaram o corte de relações diplomáticas com o Qatar acusando-o de “apoiar o terrorismo” e de manter relações próximas com o Irão.

O Qatar rejeita as acusações, classificando-as como “calúnias injustificadas”, e garante que “está a lutar contra o terrorismo e o extremismo”.

Na lista de exigências consta o encerramento de uma base militar turca no Qatar, o encerramento da cadeia televisiva Al-Jazeera e o corte de todas as ligações com “organizações terroristas”, como a Irmandade Muçulmana e outros grupos fundamentalistas islâmicos – o xiita Hezbollah, a Al-Qaeda e o Estado Islâmico.

Caso o ultimato não seja aceite, o Qatar pode sofrer novas consequências como o fim de depósitos e empréstimos interbancários de instituições dos Emirados, do Bahrein ou da Arábia Saudita; ou a suspensão do Qatar do Conselho de Cooperação do Golfo (o bloco de comércio local); ou a imposição de sanções a países que façam trocas comerciais com o Qatar.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo