Sahel | Segurança

Extremistas ligados à Al-Qaeda no Mali difundem vídeo com os seis reféns estrangeiros

This undated frame grab from video, posted online by recently formed militant group Nusrat al-Islam wal Muslimeen, shows hostage Elliot Kenneth Arthur of Australia in an unknown location, with a caption reading in Arabic 'I'm Elliot Kenneth Arthur, I'm 82 years old, born in Australia.' An al-Qaida-linked group in Mali has released, Saturday, July 1, 2017, a proof-of-life video showing six foreign hostages, a group that monitors jihadist communications says, shortly before the French president's arrival in the West African country for an anti-terror summit. (Militant Video via AP)

Pouco antes de o presidente francês, Emmanuel Macron, chegar ao Mali para uma conferência anti-terrorista, G5 Sahel, um grupo vinculado à Al Qaeda publicou um vídeo que mostra seis reféns estrangeiros.

O recentemente criado Nusrat al-Islam Wal Muslimeen emitiu o vídeo no sábado no Telegram, referiu o SITE Intelligence Group. O vídeo mostra Stephen McGowan da África do Sul, Elliot Kenneth Arthur da Austrália, Iulian Ghergut da Roménia, Beatrice Stockly da Suíça, Gloria Cecilia Narvaez da Colômbia e Sophie Petronin da França. “Nenhuma negociação genuína foi iniciada para resgatar seus filhos”, diz um narrador na gravação.

O narrador também menciona o recém-eleito presidente francês, dizendo que Petronin “espera que o novo presidente francês venha em seu socorro”.

Reagindo à gravação, Macron disse que este é a primeira prova de vida de Petronin, que recebeu em vários meses. “Essas pessoas não são nada”, declarou, referindo-se aos extremistas. “São terroristas, bandidos e assassinos. Colocaremos todas as nossas energias para erradicá-los”.

Macron encontrou-se no Mali com os chefes de Estado de cinco nações da região do Sahel para conseguir apoio para a nova força multinacional de 5.000 soldados, que tem como objetivo acabar com os extremistas.

Em março, um vídeo anunciou a criação do grupo Nusrat al-Islam wal Muslimeen, resultado de uma fusão de três grupos extremistas: o al-Mourabitoun com ligações à al-Qaeda, Ansar Dine e a al-Qaeda do Magrebe islâmico (AQMI).

O Nusrat al-Islam wal Muslimeen reivindicou o ataque do mês passado numa área turística perto da capital do Mali, que fez pelo menos cinco mortos, dos quais um militar português.

Alguns dos reféns no Mali estão em cativeiro há vários anos. Dos seis apresentados no vídeo, McGowan foi o primeiro a ser raptado, em 2011 num hostel em Tombuctu. Narvaez, uma freira, foi a última a ser raptada, em fevereiro, perto da fronteira com Burkina Faso.

O vídeo surge depois de o governo da Suécia ter anunciado a libertação de Johan Gustafsson, que foi retido por extremistas islâmicos no Mali durante seis anos.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo