Nacional | Politíca

Eleições nos Açores: PS ganha maioria

vascocordeiro

O Partido Socialista (PS) ganhou as eleições nos Açores com maioria absoluta, 46,4% dos votos e 30 deputados, apesar de ter perdido 9500 votos e um deputado para o Bloco de Esquerda.

Esta é a quinta maioria absoluta consecutiva para o PS Açores e o presidente reeleito do governo regional, Vasco Cordeiro, diz que o resultado mostra a satisfação dos açorianos com o trabalho que tem estado ser feito no arquipélago, no entanto os socialistas não festejaram nas ruas esta vitória nos Açores.

O Partido Social Democrata (PSD) foi o segundo partido mais votado e conquistou 19 dos 57 deputados regionais. Tal como o PS o PSD também perdeu um deputado. O líder do partido no arquipélago Duarte Freitas assumiu a derrota e assegurou que a luta continua.

Nos outros partidos o CDS ganhou um deputado passou de três para quatro, o Bloco de Esquerda também ganhou um e passou a ter dois, a CDU e o PPM mantêm o deputado que já tinham.

A abstenção atingiu o seu valor mais elevado neste tipo de sufrágio, 59,16%, sendo o concelho da Lagoa, na ilha de São Miguel, aquele em que esta taxa foi maior: 66,80%.

O parlamento regional mantém-se assim com as mesmas forças políticas representadas nesta legislatura: PS, PSD, CDS-PP, BE, PPM e PCP.

De acordo com o Governo do Açores, na Ilha Graciosa o PS ganhou as eleições com 54,6% dos votos, elegendo assim dois deputados. Já o PSD ficou com 36,7% dos votos, elegendo um deputado. Nestas eleições, o CDS-PP conseguiu 1,7% dos votos, o Bloco 1,1% e o CDU 0,5%. De referir que a taxa de abstenção fixou-se, nesta ilha, em 45,1%.

Em Santa Maria, o PS arrecadou 50,3% dos votos, elegendo dois deputados. O PSD conseguiu ano 29,1% dos votos, elegendo um deputado. Nenhum outro partido nesta ilha conseguiu representação no parlamento regional.

Também na ilha Terceira, o PS fechou a eleição com 49% dos votos, elegendo seis deputados. O PSD elege três, com pouco mais de 28% dos votos e o CDS-PP elege um deputado, com 10,1% dos votos.

Na ilha de São Jorge, o PS (39,5%), PSD (21,4%) e CDS (26,3%) elegem um deputado cada um. No Pico, PS (39,5%) e PSD (37,8%) conseguiram eleger dois deputados.

Na ilha do Faial, o PS (32,6%) e o PSD (41,2%) também não se distanciaram muito e acabaram por conseguir dois deputados cada um. Na ilha das Flores, PS e PSD elegeram um deputado cada um. Também aqui os dois partidos estiveram próximos, com os socialistas a arrecadarem 23,7% dos votos e os sociais-democratas com 21%.

Já na ilha do Corvo, o PSD não conseguiu eleger qualquer deputado. Aqui o PS saiu, mais uma vez, vencedor com 36,7% dos votos e um deputado eleito. Na tabela dos resultados é o Partido Popular Monárquico (PPM) que mantém o deputado eleito, com 32% dos votos.

Os resultados da última ilha a serem apurados foram os de São Miguel, a ilha com mais freguesias no arquipélago. Aqui o PS soma 12 deputados, com 49,2% dos votos. O PSD conseguiu sete deputados, obteve 30,6 % dos votos. Também o Bloco de Esquerda (4,1%) conseguiu um deputado.

Em dez eleições regionais nos Açores nos últimos 40 anos, houve nove maiorias absolutas. Cinco do PSD, quatro do PS e em 1996 houve um empate no número de deputados eleitos pelos dois partidos. Assim, durante 20 anos, os Açores foram governados pelo PSD, com Mota Amaral à frente do partido e da região, e ao longo dos últimos 20 anos os açorianos passaram a ter os socialistas à frente do governo regional.

Nas últimas eleições em 2012, o PS elegeu 31 dos 57 deputados, contra 20 eleitos pelo PSD. Os restantes lugares foram preenchidos pelo CDS (3 deputados), pelo Bloco de Esquerda (1), pelo PCP/PEV (1) e o PPM (1). Vasco Cordeiro, líder do PS-Açores, governou a região desde então.

À semelhança do que tem acontecido em todas as eleições em Portugal, também nas legislativas dos Açores a abstenção foi aumentando nos últimos 40 anos. O nível mais baixo de sempre (23,9%) registou-se em 1980, nas segundas eleições nos Açores.

Nas últimas duas eleições, mais de metade dos eleitores açorianos não votou: nas legislativas de 2012 a abstenção chegou aos 52,1%

Os líderes nacionais do PS e do PSD passaram pelos Açores na pré-campanha mas, nestas duas semanas que antecedem as eleições regionais, nem vê-los pelas ilhas. António Costa e Pedro Passos Coelho foram “dispensados” pelos respetivos partidos.

A informação do Instituto Nacional de Estatística (INE) diz que os Açores, face ao resto do país, lideram no desemprego, nas condenações por crimes de abuso sexual, no insucesso escolar, no abandono escolar e no analfabetismo, na violência doméstica, na gravidez na adolescência, no consumo de álcool, na pobreza persistente e bate os recordes nacionais de dependência dos Rendimento Social de Inserção,18292 beneficiários, 8,4% da população (dados de julho de 2016), a mais alta taxa do país (que é de 2%).

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo