Nacional

Primeira ligação aérea direta entre Lisboa e Pequim arranca a 26 de julho

aviao

O primeiro-ministro português, António Costa, afirmou que a criação da ponte aérea entre Lisboa e Pequim, que vai começar a 26 de julho, “reforça a dimensão de Portugal como grande hub intercontinental”. As declarações foram feitas após a cerimónia de inauguração dos voos diretos entre as capitais de Portugal e da China, onde o primeiro-ministro esteve acompanhado pelo Presidente do Parlamento da China, Zhang Dejiang, avança o portal do Governo de Portugal.

António Costa frisou que «com a abertura destas rotas para o Oriente, Portugal pode transformar-se num hub estratégico para fazer aquilo que, ao longo da história, Portugal e os portugueses sempre fizeram: unir povos, unir culturas, abrir portas”.

O chefe de Governo português fez questão de sublinhar que Portugal “já é o grande hub para o Brasil e o grande hub para África” e que, esta nova ligação aérea direta entre Lisboa e Pequim tem um enorme simbolismo e constituo a “nova rota da seda do século XXI”.

O primeiro-ministro acrescentou ainda a posição do porto de Sines, que poderá desempenhar uma “posição capital”, se fizer parte da Nova Rota da Seda, um projeto internacional de infraestruturas proposto pela China. O projeto “Nova Rota da Seda” abrange mais de 60 países e regiões da Ásia, Europa Oriental, Médio Oriente e África e pretende reeditar simbolicamente as rotas económicas que uniram o Oriente e o Ocidente na rota da seda original. A iniciativa inclui uma rede ferroviária, portos e autoestradas num total de 65 países e com um alcance de 4.4 mil milhões de pessoas.

A ponte aérea entre Lisboa e Pequim vai ser operada pela Beijing Capital Airlines, do grupo Hainan Arlines.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo