Amnistia Internacional assinala Dia Mundial do Refugiado no próximo dia 20 de junho

No próximo dia 20 de junho, Dia Mundial do Refugiado, a Amnistia Internacional Portugal assinala a data com uma vigília na Praça Europa em Lisboa e com a entrega das cerca de 15 mil assinaturas do manifesto “Eu Acolho”.

Em comunicado a Aministia refere que a vigília pretende sensibilizar para a necessidade de uma política europeia de migração e asilo centrada nos direitos humanos, onde a organização relembra que é ainda urgente derrubar os muros de ódio, preconceito e de obstáculos burocráticos.

Para acompanhar a ação, foram convidados elementos do governo – entre os quais, o primeiro-ministro, António Costa, a quem a Amnistia Internacional entregará as assinaturas do manifesto -, os vários grupos parlamentares, associações de refugiados e pessoas refugiadas em Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Guiné-Bissau assume a presidência rotativa da Assembleia Parlamentar da CPLP

Guiné-Bissau assume a presidência rotativa da Assembleia Parlamentar da CPLP

A capital guineense acolheu de 7 a 8 de Julho a 10ª Assembleia Parlamentar dos Países da Língua Oficial Portuguesa…
Moçambique: Frelimo preocupada com acidentes de viação

Moçambique: Frelimo preocupada com acidentes de viação

O secretário-geral da Frelimo, Roque Silva, declarou que a prevenção dos acidentes de viação e o combate à Covid-19 devem ser reforçados. Isto porque, segundo o…
Portugal regista mais 3.194 infetados por covid-19 e ultrapassa os 900 mil casos desde o início da pandemia

Portugal regista mais 3.194 infetados por covid-19 e ultrapassa os 900 mil casos desde o início da pandemia

O boletim epidemiológico, divulgado pela Direção Geral da Saúde esta sexta feira, refere que o número de casos confirmados de…
Presidente da Guiné-Bissau pede melhor tratamento para guineenses em Cabo Verde

Presidente da Guiné-Bissau pede melhor tratamento para guineenses em Cabo Verde

O chefe de Estado da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, considerou “inaceitável” que houvesse rumores de guineenses barrados à entrada dos aeroportos em Cabo Verde, país onde se…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin