Jornadas Internacionais de Etnografia unem Portugal e Brasil em Leiria

Já estão abertas as inscrições para as “Jornadas Internacionais de Etnografia – Leiria 2021” (JIEL 2021) que terão lugar no Auditório do Museu Etnográfico do Freixial, Arrabal, Leiria, no próximo dia 20 de novembro, numa organização do Município de Leiria / Agromuseu, tendo a parceria da Fundação INATEL e a colaboração de várias instituições, na sua maioria de âmbito internacional.

“Este evento é um contributo extraordinário para a divulgação junto da comunidade da história do território e para a promoção de uma identidade coletiva”, frisou Gonçalo Lopes, presidente da Câmara Municipal de Leiria. “As jornadas surgem da necessidade de aprofundar o estudo amplo da Etnografia, apresentando fontes de conhecimento de diversas áreas e valências, oriundas de vários lugares do mundo, tendo como base a pesquisa e investigação dos historiadores, antropólogos e investigadores que aprofundam o seu trabalho, incluindo o estudo no terreno, com o intuito de valorizarem, através da pesquisa e registo, as tradições, as tendências e as capacidades dos povos. Como tal, o Município de Leiria reúne, nestas Jornadas, um conjunto de estudiosos, aliados a temas de interesse transversal e instituições académicas e culturais com referência mundial”, explicou Adélio Amaro, coordenador das JIEL 2021 e consultor para a Cultura Popular do Município de Leiria.

A sessão de abertura, que acontecerá pelas 9h30, contará com as intervenções do presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, do presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa, do presidente da Fundação INATEL, Francisco Madelino, da presidente da Junta de Freguesia do Arrabal, Helena Brites, e do coordenador das JIEL 2021, Adélio Amaro.

Ao todo, serão três os painéis destas Jornadas, com palestrantes oriundos do Brasil, do Chile, da Grécia, do México e de Portugal, incluindo os Açores, abordando os temas: “Olhares Antropológicos: Da Pesquisa ao Terreno”; “Música Tradicional, Processos de Promoção e Salvaguarda” e “Editar a Memória como Construção do Futuro” (painel INATEL).

Segundo apurámos, as JIEL 2021 “são uma aposta forte do Município de Leiria, tendo a parceria da Fundação INATEL e a colaboração de um conjunto de instituições de enorme relevo e forte credibilidade, nomeadamente Politécnico de Leiria; Mosteiro da Batalha / DGPC – Direção Geral do Património Cultural; Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (Brasil); Sociedade Iberoamericana de Antropologia Aplicada, Salamanca (Espanha); Grupo de Investigación en Museus y Patrimonio Iberoamericano (Espanha); Centro do Património da Estremadura (Portugal); Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura; Museu Etnográfico do Freixial; Casa-Museu da Magueigia, Santa Catarina da Serra; Associação Bajouquense para o Desenvolvimento; Academia de Letras e Artes de Paranapuã, Rio de Janeiro (Brasil); Académi des Lettres et Arts Luso-Suisse (Suíça); Eco Academia de Letras, Ciências e Artes de Terezópolis de Góiás (Brasil) e Agência Incomparáveis (Brasil).

Para marcar presença nestas Jornadas é fundamental fazer o registo (gratuito), até ao dia 15 de novembro, para que a inscrição presencial fique confirmada, através do e-mail: culturapopular@cm-leiria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin