Começou a COP26, cerca de 120 líderes mundiais reúnem-se para discutir o combate às alterações climáticas

Cerca de 120 líderes reuniram-se em Glasgow ontem (segunda-feira) no início da COP26, lançando as duas semanas de negociações globais para ajudar a determinar se a humanidade pode levar adiante as ações urgentes necessárias para evitar alterações climáticas catastróficas.

Enquanto o mundo experimenta temperaturas recordes e condições meteorológicas extremas, levando o planeta perigosamente perto da catástrofe climática, a necessidade de ações urgentes na COP26 nunca foi tão clara.

Dirigindo-se aos líderes no primeiro grande encontro global desde a pandemia COVID-19, o presidente da COP Alok Sharma disse: “A ciência é clara que a janela de tempo que temos para manter a meta de 1,5 ℃ viva e evitar os piores efeitos do clima mudança, está a fechar rápido. Mas, com vontade e compromisso políticos, podemos e devemos apresentar um resultado em Glasgow do qual o mundo possa se orgulhar. ”

Os líderes também foram abordados pela poetisa Yrsa Daley-Ward, cujo poema Terra especialmente encomendado à COP inclui os versos: “Qualquer coisa menos do que o seu melhor é muito para pagar. Qualquer coisa depois de agora, muito pouco, muito tarde. Nada vai mudar sem você.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin