Fados de Natal no CCB: Orquestra Metropolitana de Lisboa e Cuca Roseta

Não é a primeira vez que a Orquestra Metropolitana de Lisboa abraça o calor do fado. Tão pouco é a primeira vez que Cuca Roseta se junta a uma orquestra, ou que embala a sua voz no mais genuíno espírito do Natal.

É inédito, porém, juntar estes anéis na mesma corrente, e mais ainda quando se tem como convidada a ilustre figura de Johann Sebastian Bach.

O Programa de Natal que a Metropolitana traz este ano ao Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, faz da música mensagem. É comunhão de estilos, de convivências improváveis que coincidem na comoção diante da beleza e da fantasia, dos valores humanistas, da reunião das pessoas, das estrelas que brilham no céu… da paz, do amor, da esperança… de tudo aquilo que representa o Natal.

Fados de Natal intercalados com a Suíte Nª 3 de J. S. Bach, no CCB, já no próximo sábado, dia 18 de dezembro, pelas 21h00 no Grande Auditório.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

O Governo japonês disponibilizou cerca de 170 mil dólares a Moçambique para a aquisição de cinco viaturas destinadas ao Serviço…
Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

A vice-governadora provincial para o setor Político, Social e Económico de Benguela, Lídia Amaro, afirmou que 593 ex-militares foram reintegrados…
Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

O Banco Mundial prevê que Timor-Leste registe um crescimento económico de 4,1% em 2024 e 2025, através do alívio das…
UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

A União Europeia (UE) anunciou o envio da próxima parcela de 50 milhões de euros para a Agência das Nações…