Aventuras em alto mar, para ver no Teatro D. Maria II, a partir de 27 de novembro

No próximo dia 27 de novembro, Capitana e Joana chegam ao Salão Nobre Ageas, para muitas aventuras em alto mar! Quem vai ao mar é o mais recente espetáculo do projeto Boca Aberta, do Teatro Nacional D. Maria II, destinado a crianças a partir dos 3 anos, e estará em cena aos sábados, de 27 de novembro a 22 de janeiro.

Quem vai ao mar parte de temas como a descoberta, o risco e a importância das aventuras. Será que quem vai ao mar perde o lugar? Ou arrisca nunca mais querer voltar? Quem vai ao mar procura aventuras e acredita que tudo é possível, que todo o esforço vale a pena, mesmo que se volte ao mesmo lugar. O importante é que nunca se perca uma boa onda nem uma boa descoberta.

Uma encenação de Catarina Requeijo, com conceção e seleção de textos Maria João Cruz e Inês Fonseca Santos, Quem vai ao mar conta com interpretação de Ana Valente e Sandra Pereira.

Destinado a crianças a partir dos 3 anos, o espetáculo poderá ser visto no Salão Nobre Ageas, no D. Maria II, a 27 de novembro, 4 de dezembro, 8, 15 e 22 de janeiro, sempre aos sábados, às 16h (excetuando a sessão de 15 de janeiro, que se realiza às 11h). No dia 8 de janeiro, o espetáculo contará com interpretação em Língua Gestual Portuguesa e Audiodescrição. Todas as sessões são Sessões Descontraídas, caracterizadas por uma atmosfera mais acolhedora e mais tolerância no que diz respeito ao movimento e ao barulho na plateia.

Quem vai ao mar insere-se na programação do Boca Aberta, um projeto pensado para a infância, através do qual o Teatro Nacional D. Maria II apresenta dois espetáculos por Temporada, onde são trabalhados clássicos da literatura e obras contemporâneas de autores portugueses e estrangeiros. Iniciado em 2015, o projeto conta já com mais de uma dezena de espetáculos, apresentados ao longo de seis anos. Para além das sessões para famílias no D. Maria II, os espetáculos do Boca Aberta viajam a todas as salas de jardins de infância da rede pública de Lisboa, numa parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, bem como a equipamentos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e ao Hospital de Dona Estefânia, também parceiros deste projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin