CAMINHOS querem Incentivar a produção cinematográfica na Região Centro

O Festival Caminhos do Cinema Português vai desenvolver, a 26 e 27 de novembro, as atividades do Programa Incentivar, que procura desenvolver a produção cinematográfica na Região Centro.
A Região Centro de Portugal, apesar de apresentar uma ampla diversidade de patrimónios – edificados, geográficos, naturais, culturais, com quatro inscrições na rede de Património Mundial -, uma ampla rede de ensino superior – com três universidades e quatro institutos politécnicos -, bem como uma ampla rede decisória política ao nível regional e autárquico – com oito comunidades intermunicipais -, não tem sido capaz de captar um conjunto significativo de produções cinematográficas.

É esta tendência que o Programa Incentivar pretende contrariar. Primeiro com a iniciativa Primeiro Passo, a 26 de novembro. O “Primeiro Passo” é uma oportunidade criada para que o público possa ter uma participação mais activa na cadeia de produção. Procura-se motivar os espectadores a dar um “Primeiro Passo” e propor – em formato pitch – uma história original a um conjunto de produtores de cinema.

As melhores propostas do “Primeiro Passo” são selecionadas e convidadas a realizar uma apresentação de três minutos perante uma plateia de produtores. No término da apresentação, os produtores além de avaliarem a proposta, considerarão um parecer crítico com base na sua experiência e se a ideia assim o merecer, poderão a adoptar para desenvolvimento num produto cinematográfico ou audiovisual.

No dia 27 é a vez da atividade Encontros (do Cinema com a Região). Nesta iniciativa, aberta aos profissionais, serão promovidos e apresentados, pelos produtores aos municípios da região, projetos em desenvolvimento prestes a entrar em rodagem. Pretende-se que nesse diálogo se encontre na região centro, os décor de produções cinematográficas relevantes, sem descurar o desenvolvimento do audiovisual. Estes encontros são uma dupla oportunidade que poderá satisfazer produtores e municípios, munindo os produtores de investidores adicionais nas suas produções e aos autarcas de ferramentas de promoção e desenvolvimento dos seus territórios com um impacto além do imediato com repercussões a médio e longo prazo.

Já confirmadas estão as presenças da Associação de Realizadores de Cinema e Audiovisual, da Maria & Meyer Film Production, da PNG Pictures e da Take 2000 Filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin