Baterias de íon-lítio feitas com materiais reciclados podem durar mais do que as novas

Baterias de íon-lítio com cátodos reciclados podem superar as baterias com cátodos feitos de materiais puros, e durar milhares de ciclos de carga adicionais, concluiu um estudo.

A crescente procura por estas baterias – que alimentam dispositivos desde smartphones a veículos elétricos – pode ultrapassar o fornecimento mundial de alguns ingredientes cruciais, como o cobalto. Aumentar a reciclagem pode ajudar a evitar uma possível escassez. Mas alguns fabricantes temem que as impurezas nos materiais reciclados possam prejudicar o desempenho da bateria.

“Com base no nosso estudo, os materiais reciclados podem ter um desempenho tão bom ou até melhor do que os materiais virgens”, diz o cientista de materiais Yan Wang, do Worcester Polytechnic Institute em Massachusetts.

Usando baterias usadas fragmentadas, Wang e os seus colegas extraíram os eletrodos e dissolveram os metais desses pedaços de bateria numa solução ácida. Ajustando o pH da solução, a equipa removeu impurezas como ferro e cobre e recuperou mais de 90 por cento de três metais principais: níquel, manganês e cobalto. Os metais recuperados formaram a base para o material catódico da equipa.

Em testes de como as baterias mantêm a capacidade de armazenar energia após uso e recarga repetidos, as baterias com cátodos reciclados superaram as feitas com materiais comerciais novos da mesma composição.

Demorou 11.600 ciclos de carga para as baterias com cátodos reciclados perderem 30 por cento da sua capacidade inicial. Isso é cerca de 50 por cento melhor do que os respeitáveis ​​7.600 ciclos das baterias com novos cátodos. Esses milhares de ciclos extras podem-se traduzir em anos de melhor desempenho da bateria, diz Wang.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin