Ciência

Estudo revela que morcegos-vampiros isolam-se e ficam de quarentena quando estão doentes

Um estudo da Behavioral Ecology, publicado pela Oxford University Press, descobriu que os morcegos-vampiros selvagens que estão doentes passam menos tempo perto dos outros da sua comunidade, o que retarda a rapidez com que uma doença se espalha.  Os cientistas já tinham visto esse comportamento em laboratório e usaram uma experiência de campo para confirmá-lo na natureza.

Os investigadores capturaram 31 morcegos vampiros fêmeas adultas e simularam morcegos “doentes” injetando numa metade aleatória destes morcegos com uma substância imune desafiadora, lipopolissacarídeo, enquanto o grupo de controlo recebeu injeções salinas.

Durante os três dias seguintes, os investigadores acompanharam, através de sensores, as mudanças ao longo do tempo nas associações entre todos os 16 morcegos “doentes” e 15 morcegos-controlo em condições naturais.

Comparados aos morcegos de controlo, os morcegos “doentes” associavam-se a menos companheiros de grupo, passavam menos tempo com os outros e eram menos ligados socialmente a companheiros de grupo saudáveis ​​quando consideravam as conexões diretas e indiretas.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo