OMS divulga diretrizes para países manterem serviços de saúde durante pandemia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) atualizou as diretrizes de planeamento operacional para equilibrar a pressão exercida nos serviços de saúde em resposta à pandemia do Covid-19, mantendo a prestação de serviços essenciais de saúde e diminuindo o risco de colapso dos sistemas. As diretrizes emitidas incluem um conjunto de ações que os países devem considerar, quer a nível nacional, regional ou local para reorganizar e manter o acesso aos serviços de saúde.

Segundo a OMS para a implementação das diretrizes, os países devem identificar os serviços essenciais que devem ser a prioridade e fazer mudanças estratégicas para garantir que os recursos sejam maximizados. Devem também cumprir um conjunto de precauções, especialmente em práticas de higiene e na aquisição de suprimentos adequados, incluindo equipamentos de proteção individual.

Como serviços essenciais de saúde, a organização dá como exemplos: a vacinação de rotina, serviços de saúde reprodutiva, incluindo cuidados durante a gravidez e o parto, cuidados com crianças e idosos, a gestão das condições de saúde mental, bem como doenças não transmissíveis e doenças infeciosas como a malária, tuberculose e HIV, as terapias criticas para pacientes internados, a gestão de serviços de emergência, serviços de laboratório e bancos de sangue.

As diretrizes enfatizam também a importância dos países manterem as informações atualizadas. Segundo a OMS, os países devem ter uma comunicação frequente e transparente com a sua população, para manter a confiança nos sistemas e conseguir que as pessoas sigam os conselhos de saúde pública, importantes para controlar o risco de infeção.

“A melhor defesa contra qualquer surto é um sistema de saúde forte”, enfatizou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “O COVID-19 está a revelar o quão frágeis são muitos dos sistemas e serviços de saúde do mundo, forçando os países a fazer escolhas difíceis sobre como melhor atender às necessidades de seu povo”.

 

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Brasil: AIB quer que o governo Lula investigue invasão em Brasília

Brasil: AIB quer que o governo Lula investigue invasão em Brasília

A Amnistia Internacional Brasil (AIB) está a exigir “investigações céleres, imparciais e efetivas que sejam conduzidas pelas instituições competentes para…
Brasil: Advogado de Lula hostilizado em aeroporto brasileiro

Brasil: Advogado de Lula hostilizado em aeroporto brasileiro

Diante das ameaças e constrangimentos enfrentados pelo advogado Cristiano Zanin, abordado por um opositor no Aeroporto de Brasília, no último…
Portugal é um dos 5 países de onde partem mais turistas para aproveitar o Verão brasileiro

Portugal é um dos 5 países de onde partem mais turistas para aproveitar o Verão brasileiro

Mais de 1,28 milhão de turistas estrangeiros estão com bilhetes aéreos comprados para apreciar o verão brasileiro. O levantamento é…
Cabo Verde tem valorização do dólar como um dos principais riscos orçamentais

Cabo Verde tem valorização do dólar como um dos principais riscos orçamentais

Cabo Verde tem como dois dos principais riscos orçamentais o Setor Empresarial do Estado e o impacto da contínua valorização…