Ciência

Qualidade do ar nos espaços interiores em Portugal considerada crítica

A qualidade do ar nos espaços interiores em Portugal é critica e por isso, enquanto se mantiver a crise pandémica do Covid-19, devem ser evitadas reuniões presenciais, alerta o professor da Universidade de Coimbra Manuel Gameiro da Silva. A par dessa recomendação, os espaços com ocupação humana devem ser totalmente ventilados com ar novo e de forma regular, afirma o professor catedrático.

O cientista e especialista em climatização realizou uma análise sobre os modos de transmissão do Covid-19, tendo em conta os conceitos da qualidade do ar interior e refere que se tem desprezado o papel da transmissão do vírus por partículas em suspensão. Esta evidência, segundo o autor, tem levado ao desaconselhamento de algumas medidas de proteção que provavelmente são a base de taxas mais modestas de propagação do vírus em alguns países asiáticos.

Manuel Gameiro da Silva defende que «quando se planeia uma saída, para locais frequentados por outras pessoas, deve-se levar máscara e, se possível, viseira. As máscaras normais não são completamente eficazes na retenção das partículas de menor dimensão, pelo que o uso combinado com uma viseira aumenta substancialmente a eficácia de retenção».

A análise do autor integra-se na plataforma UC Against Covid-19 que acaba de ser lançada pela Universidade de Coimbra.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo