Recolhimento não reduziu a poluição do ar tanto quanto o esperado

A pandemia de covid-19 forçou as pessoas a ficarem mais em casa e a reduzirem todos os tipos de viagens, o que levou a que as emissões dos transportes baixassem significativamente. Durante o primeiro recolhimento foi amplamente divulgado que a qualidade do ar urbano melhorou. No entanto, agora, cientistas da Universidade de Birmingham dizem que essas melhorias não foram tão significativas quanto o esperado.

Para chegara a estas conclusões a equipa internacional de cientistas concentrou-se no estudo das emissões de dióxido de carbono em 11 cidades: Pequim, Wuhan, Milão, Roma, Madrid, Londres, Paris, Berlim, Nova York, Los Angeles e Delhi.

Os investigadores descobriram que, embora as emissões poluentes tenham diminuído significativamente, essas mudanças podem estar mais associadas ao clima do que aos efeitos dos bloqueios. Por exemplo, as emissões de NO2 diminuem sempre na transição entre o inverno e o verão. Levando em conta estas mudanças relacionadas ao clima, a redução de emissões não parece tão grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *



Artigos relacionados

Moçambique: PR mantém Comandante do Ramo da Marinha de Guerra

Moçambique: PR mantém Comandante do Ramo da Marinha de Guerra

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, prorrogou, por Despacho Presidencial, o mandato do Comandante do Ramo da Marinha de Guerra, Eugénio Dias…
Mais quatro mortes e 1.298 infetados por covid-19 em Portugal

Mais quatro mortes e 1.298 infetados por covid-19 em Portugal

O boletim epidemiológico, divulgado pela Direção Geral da Saúde esta sexta feira, refere que o número de casos confirmados de…
Cabo Verde: Créditos cobertos por moratórias caem para 23 milhões de contos

Cabo Verde: Créditos cobertos por moratórias caem para 23 milhões de contos

O valor dos créditos bancários cobertos pelas moratórias lançadas em abril de 2020 em Cabo Verde, com o objetivo de mitigar os…
Angola defende Guiné Equatorial no processo da pena de morte

Angola defende Guiné Equatorial no processo da pena de morte

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, acredita que a Guiné Equatorial está “a fazer a sua parte” para abolir a pena…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin