Resistência aos antibióticos é uma das principais causas de morte no mundo

As infecções bacterianas que não respondem ao tratamento são uma das principais causas de morte em todo o mundo. Em 2019, a resistência antimicrobiana causou cerca de 1,27 milhões de mortes, relatam investigadores. Morreram mais pessoas de infecções bacterianas intratáveis ​​naquele ano do que de HIV ou malária.

No geral, a resistência antimicrobiana bacteriana desempenhou um papel importante em cerca de 4,95 milhões de mortes em todo o mundo, incluindo as 1,27 milhões de mortes causadas diretamente por infecções resistentes, segundo o estudo. As estimativas são baseadas numa análise do hospital, vigilância e outras fontes de dados cobrindo 204 países e territórios por um grupo internacional de pesquisadores chamado de Colaboradores da Resistência Antimicrobiana.

A resistência a duas classes de antibióticos, beta-lactâmicos (que incluem penicilina) e fluoroquinolonas, foi a razão de mais de 70% das mortes causadas por resistência. Esses medicamentos são as opções de primeira linha para muitas infecções bacterianas.

O estudo foi publicado a semana passada na revista cientifica Lancet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin