Temperaturas anormais responsáveis por 5 milhões de mortes por ano

Um novo estudo internacional descobriu que mais de cinco milhões de mortes por ano podem ser atribuídas a temperaturas quentes e frias anormais.

O estudo constatou que as mortes relacionadas às altas temperaturas aumentaram em todas as regiões de 2000 a 2019, indicando que o aquecimento global devido às alterações climáticas agravará esse número de mortalidade no futuro.

A equipa de pesquisa internacional, liderada por Yuming Guo da Monash University, Shanshan Li e Qi Zhao da Shandong University na China – e publicado no The Lancet Planetary Health – analisou dados de mortalidade e temperatura em todo o mundo de 2000 a 2019, um período em que as temperaturas globais aumentaram 0,26 ° C por década.

O estudo, o primeiro a vincular definitivamente a temperatura aos aumentos anuais na mortalidade, concluiu que 9,43% das mortes globais podem ser atribuídas a temperaturas quentes e frias anormais. Isso equivale a 74 mortes a mais para cada 100.000 pessoas, com a maioria das mortes causadas pela exposição ao frio.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Brasil: Tentativa terrorista pró-Bolsonaro de golpe de estado repudiada por líderes mundiais

Brasil: Tentativa terrorista pró-Bolsonaro de golpe de estado repudiada por líderes mundiais

Depois de um dia de ataques à democracia brasileira, o presidente Lula da Silva decretou intervenção federal na Capital do…
O diário de Anne Frank regressa em 2023

O diário de Anne Frank regressa em 2023

Depois de uma temporada de 4 meses no Teatro da Trindade INATEL e com mais de 30 mil espectadores, o…
Angola: Consulado de Portugal abre agendamento para pedido de vistos

Angola: Consulado de Portugal abre agendamento para pedido de vistos

Consulado Geral de Portugal em Luanda anunciou a abertura, no próximo mês de fevereiro, de agendamento para pedido de vistos.…
Timor-Leste: Menos de metade dos beneficiários receberam cesta básica

Timor-Leste: Menos de metade dos beneficiários receberam cesta básica

As autoridades timorenses distribuíram cestas básicas a menos de metade dos beneficiários previstos durante os primeiros seis meses de implementação…