Cultura

Músico luso-brasileiro ensina guitarra portuguesa a internautas como forma de ultrapassar isolamento provocado pela pandemia

Em época de isolamento social, sobra tempo e faltam atividades àqueles que estão em casa à espera que a pandemia do coronavírus abrande e que a rotina volte ao normal. E é diante desse cenário que surgem na Internet exemplos de entrega pessoal e empatia. Um desses personagens é o músico luso-brasileiro Ricardo Araújo que tomou a iniciativa de oferecer aulas de guitarra portuguesa, de forma gratuita, para internautas de todo o mundo, com foco no público idoso que necessita estar recolhido em casa neste momento. “Enquanto houver pessoas isoladas, estarei lecionando todos os dias”, garante o guitarrista.

Para saber mais sobre essa iniciativa, que reuniu centenas de alunos de mais de uma dezena de países, e que promove a cultura portuguesa, a e-global conversou com esse profissional que disse acreditar que “a música terá um papel fundamental neste processo tão difícil que estamos vivendo”.

 

Como nasceu a ideia das aulas de guitarra portuguesa pela Internet neste tempo de pandemia?

Já vinha realizando um trabalho social com a guitarra portuguesa através de aulas semanais publicadas na Internet de forma gratuita. Através deste trabalho, surgiu a primeira Orquestra de Guitarra Portuguesa, a Orquestra Canal GP. Realizamos três apresentações em Portugal: em 2017, 2018 e 2019. Neste período de coronavírus, intensificamos este trabalho para aulas diárias de forma gratuita, tentando alcançar principalmente pessoas da terceira idade.

E qual foi o objetivo?

No Brasil, tudo foi muito rápido e, num piscar de olhos, vi os meus pais não poderem abraçar os seus filhos e netos, dentro de casa, isolados de tudo e de todos, devido à gravidade do vírus. Recentemente, o meu pai teve um AVC, está em recuperação, tem diabetes e tensão alta. Os cuidados são redobrados. Sei que o psicológico destas pessoas nestas condições será muito afetado também. A pressão das notícias ruins, que a cada dia batem na nossa porta, causará danos terríveis como depressão, síndrome do pânico e, até mesmo, suicídios. Acredito que a música terá um papel fundamental neste processo tão difícil que estamos vivendo. Igual ao meu pai, existem milhares de pessoas isoladas neste momento. A humanidade nunca mais será a mesma depois que tudo isto passar, e sei que vai passar. Chegou o momento de cada um se colocar no lugar do outro. Devemos colocar os nossos talentos e experiências profissionais a favor do próximo e ter pensamento coletivo e utilizar o meio digital como ferramenta de combate a este vírus.

Como se sentiu?

Trabalho com o ensino de música à distância já há alguns anos, acabei adquirindo uma certa experiência e posso realizar este trabalho. Tenho verdadeira paixão em lecionar. Separei duas horas do meu dia para trabalhar de forma intensa neste projeto social.

Quantos alunos se juntaram à aula?

A escola já ultrapassou a marca de 200 alunos matriculados, mas, no grupo on-line onde realizamos este trabalho social, já ultrapassamos 800 pessoas. São pessoas de mais de dez países.

Qual foi o feedback dos alunos?

O feedback está sendo incrível e emocionante. Os alunos da escola têm ajudado bastante também. Num dia, recebi, dentro do grupo, mais de 150 alunos. Me enviaram um depoimento de um senhor português com 81 anos que agradeceu a gentileza das aulas. Se este projeto durar 40 dias, só este depoimento para mim já valeu a pena.

Haverá outras aulas?

O projeto das aulas gratuitas de música e guitarra portuguesa acontecerá todos os dias de segunda a sexta-feira, às 21h, horário de Portugal, através de um grupo privado no Facebook. Não tenho prazo para finalizar. Enquanto houver pessoas isoladas, estarei lecionando todos os dias.

Como a guitarra portuguesa entrou na sua vida?

A música portuguesa sempre esteve presente na minha vida desde o berço. As minhas lembranças são de ouvir os discos da Amália Rodrigues e de outros artistas portugueses nas festas de família. Ficava fascinado com a sonoridade do instrumento. Como bom português, o meu pai sempre dizia que a guitarra portuguesa é o instrumento mais lindo do mundo. Tive contato a primeira vez com o instrumento quando tinha 19 anos, através do professor Manuel Marques.

Atua profissionalmente com esse instrumento?

Em 2021, irei completar 20 anos do meu primeiro concerto na Casa de Portugal de São Paulo, a convite do professor Manuel Marques. Tinha apenas quatro meses de aula deste instrumento e o querido Manuel Marques já me incentivava a seguir esta carreira. De lá para cá não parei mais e, hoje, graças a Deus, já levei a guitarra portuguesa para mais de dez países, incluindo um concerto instrumental no Moscou International House of Music, maior casa de espetáculos de Moscovo.

Como é ser músico, com experiência na guitarra portuguesa, num país como o Brasil, onde o instrumento não faz parte dos que são utilizados na música nacional?

Apesar de o instrumento não fazer parte da cultura dos brasileiros, sempre trabalhei de forma intensa realizando concertos instrumentais por todo o Brasil, acompanhando também os meus queridos amigos Roberto Leal, Fafá de Belém, Marly Gonçalves e outros fadistas do País.

Como são as aulas do instrumento na Internet?

Em 2014, criei o “Canal GP” no Youtube, onde atingimos, recentemente, a marca de um milhão de visualizações na plataforma, através de centenas de aulas gravadas. Tudo de forma gratuita. Através do Youtube, veio a escola online “Canal GP”, onde atingimos a marca de mais de 200 alunos espalhados pelo mundo. Este curso é totalmente on-line para todo público em geral, e de qualquer idade. Temos cursos prontos e completos para turma iniciante, intermediária e avançada. A maior parte do público é formado por portugueses, mas tenho alunos japoneses, norte-americanos, canadianos, espanhóis e até um israelense.

Viaja muito a trabalho em virtude da guitarra portuguesa?

Em 2010, fiz o meu primeiro concerto instrumental internacional na Rússia e de lá para cá todos os anos tenho viajado para o exterior, sem contar os concertos por todo o Brasil. Através da escola, realizo um encontro anual em Portugal com todos os alunos. No último encontro, tivemos alunos de mais de dez países.

Quem é Ricardo Araújo?

Sou filho de portugueses. O meu pai é de Barcelos e a família da minha mãe é de Aveiro. Sou professor e músico profissional, fui o primeiro brasileiro a se apresentar no teatro “Os Trabalhadores de Arte” em Moscovo, com 80 anos de existência, no dia 25 de abril de 2010. Apresentei-me também nos grandes palcos da Ucrânia nas cidades de Sinferopol e Sevastopol nos anos de 2011 a 2014, participando com o meu trio instrumental no Festival Internacional Balalaika. Gravei o projeto “Cancioneiros da Imigração”, CD que foi lançado em nove países, e participei no filme “Sons de São Paulo” da TV Cultura. Pela mesma emissora gravei o especial de Fernando Pessoa. Em 2010, lancei o CD solo de guitarra portuguesa. Apresentei-me na Colômbia, Argentina e no Uruguai e fui convidado de Yamandú Costa no seu show no SESC Pinheiros, no estão de São Paulo, em 2018. Recentemente, gravei a banda sonora da novela “Tempo de Amar” atuando também em algumas cenas com a guitarra portuguesa. O meu curso on-line de guitarra portuguesa é referência mundial no ensino deste instrumento.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo