Cultura

Mundo Crítico – Revista de Desenvolvimento e Cooperação levanta o debate de Como falar de África

(C) Mundo Crítico

O lançamento do Nº 4 da “Mundo Crítico – Revista de Desenvolvimento e Cooperação”, dedicado à relação entre o jornalismo, a comunicação e as questões do desenvolvimento, decorreu no passado dia 11 de novembro de 2019, na Casa do Impacto (Lisboa).

Estiveram presentes para a apresentação da revista a jornalista Cândida Pinto e o antropólogo Euclides Gonçalves do Kaleidoscópio (Moçambique), num debate moderado pelo investigador António Pinto Ribeiro. A sessão, aberta ao público em geral, oferecia uma reflexão profunda às questões do desenvolvimento e de como os Media atuais retratam África e países terceiros.

No entender de Cândida Pinto, jornalista da RTP1, há duas ou três situações antagónicas que perspassam muitas das ideias feitas sobre África que são; “os conflitos e a fome e depois a beleza. É difícil encontrar informação que descole destes paradigmas, a não ser que sejam situações pontuais”. Contudo, a jornalista da RTP1 também é otimista no que diz respeito ao evoluir dos tempos. “Atualmente a normalidade da vida das pessoas tem sido uma situação altamente pertinente para a abordagem de novas perspetivas fitas pelos Media”.

Para Euclides Gonçalves, antropólogo moçambicano, os países africanos têm de assumir as suas responsabilidades e desempenharem um papel mais ativo no mundo da comunicação. “É preciso que os jornalistas conheçam os lugares e não se pode esperar que outras pessoas projetem a nossa realidade”.

No que diz respeito às limitações à liberdade dos jornalistas, Euclides Gonçalves é também peremptório quando afirma “que há muitas aberturas e também muitos limite, é uma questão de constante negociação, especialmente para os órgaõs de comunicação estatais, entre o espaço que há para fazer passar a informação”.

O antropólogo moçambicano também alertou para a multiplicidade de línguas autóctones existentes em moçambique ainda não têm o espaço público que deveriam. “Esse tema continua ainda bastante atrasado na política moçambicana”, embora refute que o “papel das radios comunitárias seja exemplar nesse aspeto”.

A Revista Mundo Crítico é uma iniciativa conjunta da Associação para a Cooperação Entre os Povos (ACEP) e do Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento do ISEG (CEsA/ISEG). Esta edição contou com apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo