Ciência | Notícia | Vida

Investigadores portugueses desenvolvem método inovador para detetar pedras nos rins

O Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde da Universidade do Minho desenvolveu um método inovador para detetar as pedras nos rins e assim facilitar todo o processo de remoção durante a cirurgia. Trata-se de dois sensores eletromagnéticos, um interior e outro exterior. Quando sensor interno alcança o rim e identifica as pedras emite uma luz vermelha, e o sensor externo emite uma luz verde. Quando estas luzes se intercetam está então localizado o local e o momento exatos para iniciar a cirurgia.

Estima-se que em Portugal, 5% da população sofra de litíase renal, situação que afeta principalmente os homens.

O método desenvolvido pelos investigadores Emanuel Dias, Estêvão Lima e João Vilaça deve chegar ao Hospital de Braga em 2017.

Com este método inovador simplifica-se a intervenção, evita-se que o doente fique muito tempo exposto às radiações, pois o tempo de decisão é mais rápido e preciso, e o tempo da cirurgia é reduzido para mais de metade, durando cerca de meia hora.

O projeto foi publicado em 2013 no The Journal of Urology. Foi também recentemente divulgado no Roteiro da Ciência que decorreu no Minho nos dias 19 e 20 de dezembro, dirigido pelo Comissário Europeu para a Investigação, Inovação e Ciência, Carlos Moedas.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo