Supporting The Elderly With Parkinson's Disease

Baixo fluxo sanguíneo no cérebro pode ser um sinal precoce da doença de Parkinson

Pessoas que sofrem de distúrbio do sono REM têm o fluxo sanguíneo no cérebro alterado, o que pode levar à falta de oxigénio no tecido cerebral. A longo prazo, esta situação pode causar sintomas da doença de Parkinson. Os resultados são de um estudo da Universidade de Aarhus e do Hospital Universitário de Aarhus.

“Acreditamos que os mesmos processos de doença que causam distúrbios do sono também afetam a capacidade de controlar o fluxo sanguíneo no cérebro, o que pode levar à falta de oxigénio no tecido cerebral. Com o tempo, isso irá gradualmente quebrar o tecido cerebral e causar sintomas que vemos na doença de Parkinson.”
refere Simon Fristed Eskildsen, responsável pelo estudo.

“Um tratamento médico capaz de restaurar o neurotransmissor e o controlo dos vasos sanguíneos, podia ajudar assim a manter a função cognitiva de pacientes que apresentam os primeiros sinais do mal de Parkinson”, explica o investigador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin