Brasil: Bolsonaro anuncia construção de um Centro Nacional de Vacinas em Minas Gerais

O Brasil vai contar com um Centro Nacional de Vacinas, numa iniciativa que une o governo de Minas Gerais e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) do país, foi o que anunciou o presidente Jair Bolsonaro nos últimos dias. O lançamento da Pedra Fundamental deste Centro decorreu no dia 30 de setembro, na cidade de Belo Horizonte.

“Essa parceria com o governo de Minas e com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vai permitir ao Brasil ser independente com relação à produção completa de vacinas a partir do ano que vem. Isso é soberania”, afirmou o ministro Marcos Pontes, responsável pela pasta da Ciência, Tecnologia e Inovações, que explicou que “o Centro de Vacinas será capaz de produzir a tecnologia, o insumo farmacêutico e a distribuição do imunizante, o que talvez seja uma das maiores entregas desse governo porque significa impacto para milhões de pessoas no futuro”.

Este ministro destacou ainda que o setor de ciência e tecnologia teve grandes avanços durante a sua gestão à frente do MCTI. “Temos resolvido problemas de décadas em pouco mais de dois anos e meio de governo Bolsonaro”, disse Pontes, que sugeriu que “um desses problemas é que o Brasil nunca foi capaz de fazer completamente suas próprias vacinas.Com esse Centro, o Brasil vai ser capaz de trazer as tecnologias nacionais de outros centros de pesquisa e congregar isso com a indústria”, comentou Pontes.

Segundo apurámos, o Centro Nacional de Vacinas MCTI-UFMG “dominará todas as etapas do desenvolvimento desses produtos, incluindo as pesquisas, testes com pacientes até a criação de protótipos”. O centro contará com R$ 50 milhões (cerca de 7 milhões de euros), oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

“O recurso viabilizará a construção e a aquisição dos equipamentos da infraestrutura que servirá de hub para o desenvolvimento de projetos de inovação nas áreas de vacinas, de kits diagnósticos e de fármacos, com foco na transferência tecnológica para empresas e instituições que atuem no mercado de saúde”, afirmou fonte do governo brasileiro, que garantiu que “outra estratégia é que o CNVAC MCTI-UFMG atue também como uma plataforma para o surgimento de spin-offs que desejem comercializar os produtos desenvolvidos pelo Centro. Além disso, o centro desprenderá esforços para apoiar grupos de pesquisa, instituições e empresas por meio da capacitação de profissionais e prestação de serviços”.

A parceria prevê, além do investimento de cerca de R$ 50 milhões pelo Governo Federal por meio do MCTI, R$ 30 milhões (cerca de 5 milhões de euros) pelo Governo de Minas Gerais para a criação desse polo nacional, que “ampliará as capacidades de desenvolvimento de vacinas nacionais”. A ideia, de acordo com o governo de Minas, “é que o centro de vacinas possa se sustentar a longo prazo por meio de parcerias com a iniciativa privada e com o ecossistema que existe no parque tecnológico”.

O ministro Marcos Pontes também anunciou em Belo Horizonte a entrega do primeiro lote de teste para deteção da Covid-19, 100% brasileiro, baseado no método conhecido como Elisa. O kit sorológico apoiado pela RedeVírus MCTI foi finalizado em agosto e protocolado na Anvisa. O objetivo do projeto é ampliar a capacidade de diagnóstico do coronavírus no país.

“Agora, o Brasil produz também testes diagnósticos para detetar Covid-19, desenvolvido em Minas Gerais”, ressaltou Marcos Pontes. O kit, além do aporte financeiro principal do MCTI, tem também financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Vacinas (INCT-V) e foi integralmente desenvolvido pelo CT-Vacinas.

Em agosto de 2021, o projeto de pesquisa e o lote piloto do kit sorológico IgG para Covid-19, teste para deteção de anticorpos do coronavírus, foi finalizado e protocolado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) do Brasil. O escalonamento e produção está a ser realizada por Biomanguinhos/Fiocruz/Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin