Cientistas identificam proteína que protege contra a doença de Lyme

Investigadores da Universidade de  Yale descobriram uma proteína que ajuda na proteção contra a doença de Lyme, uma descoberta que pode, no futuro, ajudar a diagnosticar e tratar esta infeção.

A doença de Lyme é uma doença transmitida por carrapatos infetados com Borrelia burgdorferi . A manifestação da doença varia entre os indivíduos, com a maioria apresentando sintomas leves facilmente tratados com antibióticos. No entanto, em alguns casos de Lyme não tratada, a infecção pode espalhar-se para o coração, articulações, sistema nervoso e outros órgãos.

Os investigadores descobriram que uma proteína, Peptidoglycan Recognition Protein 1 (PGLYRP1), atua como um sinal de alerta precoce para o sistema imunológico quando exposto à bactéria. Estimular a capacidade das pessoas de produzir mais desta proteína pode ajudar a combater a infeção”, refere Erol Fikrig, autor do estudo.

A equipa de investigação concluiu também que as pessoas com níveis mais elevados de PGLYRP1 são menos suscetíveis à infeção por  B. burgdorferi , o que ajuda a explicar a razão de alguns indivíduos infetados têm melhores resultados no tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

A Comissão Europeia assumiu nesta quarta-feira, 02 de março, que as sanções da União Europeia (UE) à Rússia vão ter “custos…
EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

Os Estados Unidos da América (EUA) sugerem que a Rússia seja excluída do Conselho dos Direitos Humanos. A proposta foi…
Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

O ministro conselheiro da Rússia em Moçambique, Dimitri Sorokin, garantiu que a guerra na Ucrânia não afeta as relações de…
Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Igor Mazepa Baran tem 57 anos de idade e vive na cidade de Curitiba, no Brasil. É brasileiro com descendência…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin