Crianças que comem mais frutas e vegetais têm melhor saúde mental

Uma nova pesquisa descobriu que as crianças que comem mais frutas e vegetais têm melhor saúde mental. O estudo é o primeiro a investigar a associação entre o consumo de frutas e vegetais, opções de pequeno almoço e almoço e bem-estar mental em crianças em idade escolar no Reino Unido.

A equipa de pesquisa estudou dados de quase 9.000 crianças em 50 escolas e descobriu que os tipos de pequeno almoço e almoço consumidos por alunos do ensino primário e médio estavam significativamente associados ao bem-estar.

Segundo os resultados do estudo, as crianças que consumiram cinco ou mais porções de frutas e vegetais por dia tiveram as pontuações mais altas para o bem-estar mental.

O estudo foi liderado pela UEA Health and Social Care Partners em colaboração com o Norfolk County Council.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin