Especial COVID-19

China bloqueia chegada de equipa da OMS para estudar origens do coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que a China bloqueou a chegada de uma equipa que investigava as origens da pandemia do coronavírus.

O Diretor-Geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que dois cientistas da equipa das Nações Unidas já tinham deixado os seus países de origem para Wuhan quando foram informados de que as autoridades chinesas não tinham aprovado as autorizações necessárias para entrar no país. Os processos tinham sido previamente acordados em conjunto com a China.

“Estou muito desapontado com esta notícia”, disse Tedros em conferência de imprensa em Genebra na terça-feira. “Estive em contato com altos funcionários chineses e mais uma vez deixei claro que a missão é uma prioridade para a OMS e a equipa internacional.”

Tedros declarou que a OMS está “ansiosa para iniciar a missão o mais rápido possível” e que foi garantido que Pequim estava a acelerar os procedimentos internos para que começasse “o mais rápido possível”.

Michael Ryan, diretor executivo do programa de emergências de saúde da OMS, informou que havia um problema com os vistos e que um membro da equipa já tinha voltado para casa. O outro aguardava em trânsito num terceiro país.

Funcionários da OMS há muito negoceiam com Pequim para permitir que uma equipa de cientistas globais aceda a locais-chave para investigar a origem do vírus, detetado pela primeira vez em Wuhan em dezembro de 2019, e seu provável salto de uma espécie hospedeira não identificada para humanos.

Em maio, a OMS concordou em conduzir uma investigação sobre a resposta global à pandemia, depois de mais de 100 países terem assinado uma resolução pedindo um inquérito independente.

Estados Unidos e a Austrália criticam China

Os Estados Unidos e a Austrália criticaram a forma como a China lidou com os estágios iniciais da pandemia, acusando Pequim de minimizar a sua gravidade e impedir uma resposta efetiva até que seja tarde demais.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, culpou repetidamente a China pela pandemia global e anunciou que o seu país encerraria o seu relacionamento com a OMS após alegar que a China não tinha fornecido adequadamente as informações de que dispunha sobre o coronavírus e que pressionou a OMS para “enganar o mundo”.

O governo chinês rejeitou repetidamente as acusações feitas pelos Estados Unidos e outros governos ocidentais de que deliberadamente reteve informações relacionadas ao vírus, sustentando que foram sinceras desde o início do surto.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo