Covid-19: hackers russos e norte-coreanos tentam roubar vacinas

Nos últimos meses foram detetados ataques cibernéticos cometidos por hackers, alegadamente apoiados pelos governos da Rússia e da Coreia do Norte, contra farmacêuticas e investigadores que estão a desenvolver tratamentos e vacinas para a covid-19. A denúncia foi feita, em comunicado, pela Microsoft na passada sexta-feira, 13 de novembro.

Segundo a multinacional, os principais alvos forma empresas do Canadá, EUA, Coreia do Sul, Índia e França, a maioria delas serão possíveis fabricantes de uma vacina contra o vírus SARS-Cov2 que causa a Covid-19.

A Microsoft não revela o nome das empresas afetadas mas refere que algumas delas já estão em fase de testes clínicos avançados para o desenvolvimento de uma vacina.

“Achamos que estes ataques são inescrupulosos e devem ser condenados por toda a sociedade civilizada”, salienta o vice-presidente da Microsoft Tom Burt.

Burt refere ainda que a maioria dos ataques detetados foram mal sucedidos, mas não revelou quantos obtiveram êxito nem a gravidade das violações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

A Comissão Europeia assumiu nesta quarta-feira, 02 de março, que as sanções da União Europeia (UE) à Rússia vão ter “custos…
EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

Os Estados Unidos da América (EUA) sugerem que a Rússia seja excluída do Conselho dos Direitos Humanos. A proposta foi…
Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

O ministro conselheiro da Rússia em Moçambique, Dimitri Sorokin, garantiu que a guerra na Ucrânia não afeta as relações de…
Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Igor Mazepa Baran tem 57 anos de idade e vive na cidade de Curitiba, no Brasil. É brasileiro com descendência…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin