Investigadores do Porto testam uso da inteligência artificial no diagnóstico precoce do cancro gástrico

Uma equipa de investigadores do Porto, liderada pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), tem vindo a desenvolver tecnologias para o diagnóstico precoce do cancro gástrico com base na inteligência artificial.

Esta equipa reúne especialistas da área de inteligência artificial e visão computacional do INESC TEC e da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e ainda especialistas da área da gastrenterologia e endoscopia digestiva em oncologia do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO Porto).

O cancro gástrico é o terceiro mais mortal em todo o mundo e o rastreio minimamente invasivo e a endoscopia gastrointestinal desempenham um papel primordial para um diagnóstico precoce, crucial para a melhoria das taxas de sobrevivência. No entanto, devido a fatores técnicos e cognitivos, o risco de um falso diagnóstico causado por erro humano é possível.

“O nosso principal objetivo é criar tecnologias baseadas em visão computacional para analisar, de forma automática, vídeos e imagens obtidos através de endoscopias gastrointestinais não invasivas”, explica Miguel Coimbra, que está a liderar o projeto em conjunto com Mário Dinis-Ribeiro.

“A Inteligência Artificial, e mais especificamente a Visão Computacional, tem o potencial de mitigar as limitações existentes atualmente, ao fornecer ferramentas de avaliação automáticas da endoscopia que não só podem apoiar os médicos na deteção e caracterização de lesões de cancro gástrico, como podem monitorizar a própria qualidade da endoscopia efetuada”, acrescenta.

“A observação por endoscopia pode ter e certamente terá melhorias com a adição de inteligência artificial. A qualidade da endoscopia em Portugal é muito boa, mas em todo o mundo a procura da melhoria no ensino e na prática está a fazer-se também através da inteligência artificial” explica Mário Dinis-Ribeiro.

Para atingir estes objetivos, os investigadores estão a desenvolver um conjunto de novos algoritmos de inteligência artificial que vão integrar um protótipo a ser testado em ambiente hospitalar no Serviço de Gastrenterologia do IPO do Porto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Mercados voláteis de energia vieram para ficar, alerta Agência Internacional de Energia

Mercados voláteis de energia vieram para ficar, alerta Agência Internacional de Energia

Os preços da energia em todo o mundo atingiram níveis recordes com uma crise de energia que atinge a Europa…
Cabo Verde: Neves liga Veiga a "movimentos extremistas"

Cabo Verde: Neves liga Veiga a "movimentos extremistas"

O candidato presidencial José Maria Neves voltou a afirmar que o rival Carlos Veiga tem ligação a “movimentos extremistas”. Como tal, considera…
Programa "Detetives das Emoções" ajuda a combater a ansiedade e depressão em crianças

Programa "Detetives das Emoções" ajuda a combater a ansiedade e depressão em crianças

Um estudo piloto realizado por uma equipa da Universidade de Coimbra (UC), indica que o programa de intervenção psicológica vulgarmente…
Estudantes de jornalismo com motivações altas e expectativas baixas sobre o seu futuro profissional

Estudantes de jornalismo com motivações altas e expectativas baixas sobre o seu futuro profissional

Uma grande percentagem dos alunos que frequentam os cursos de jornalismo e comunicação em Portugal não acredita na possibilidade de…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin