Obesidade e hipertensão: exposição à natureza melhora a saúde

Dois estudos distintos analisaram os efeitos que a exposição à Natureza tem sobre a nossa saúde, e descobriram que quanto mais verde for o ambiente melhor é para a saúde, nomeadamente em termos de hipertensão e obesidade.

A equipa internacional de investigadores analisou, por um lado, se o espaço verde ao redor das escolas, como uma área de relvado ou de árvores, estava associado à menor pressão arterial em crianças e, por outro, se havia uma ligação entre o verde da comunidade e obesidade em adultos que vivem em áreas urbanas.

Os professores Michael Bloom e Shao Lin, da Universidade de Ciência da Saúde Ambiental de Albany, EUA, que trabalharam nos dois estudos liderados por Guanghui Dong, da Universidade Sun Yat-sen, China, explicam que, enquanto estudos anteriores mostraram que a exposição a espaços verdes pode ajudar a proteger contra resultados negativos para a saúde, poucos estudos consideraram as associações entre espaços verdes nas escolas e pressão arterial em crianças.

Os resultados indicaram que quanto mais espaço verde havia nas proximidades das escolas, consistentemente associado à menor pressão arterial sistólica e menor hipótese de hipertensão em crianças. Os efeitos benéficos do verde foram ainda mais fortes em crianças com excesso de peso e obesidade.

O outro estudo sobre o impacto na obesidade mostrou que maiores quantidades de espaços verdes numa comunidade estavam associadas a menor índice de massa corporal (IMC) e obesidade. «Em particular, os impactos pareciam ser mais substanciais entre as mulheres, os idosos e os de menor rendimento familiar», escrevem os autores.

Os autores observam que a China fornece um cenário ideal para explorar os efeitos do verde na saúde devido à sua rápida urbanização e aumento dramático nas taxas de obesidade, combinados com um declínio acentuado no espaço verde e maior poluição do ar.

«Embora esses estudos tenham sido realizados na China, é provável que associações semelhantes ocorram noutras partes do mundo, como EUA e outras nações em desenvolvimento», disseram Bloom e Lin, ecom comunicado. «A vegetação parece ser uma ferramenta importante para proteger contra várias condições negativas de saúde», finalizam.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Angola: TAAG vai receber cinco aviões novos até ao final de 2024

Angola: TAAG vai receber cinco aviões novos até ao final de 2024

A companhia TAAG Linhas Áreas de Angola vai receber cinco novos aviões até ao final de 2024.   Estas novas…
Brasil: Escritor português integra festival literário brasileiro que aposta na “equidade”

Brasil: Escritor português integra festival literário brasileiro que aposta na “equidade”

O Festival Literário Internacional de Araxá (Fliaraxá), que terá lugar entre os dias 19 e 23 de junho, no município…
Cabo Verde: Preço dos combustíveis baixam 6 % em junho

Cabo Verde: Preço dos combustíveis baixam 6 % em junho

A Autoridade Reguladora Multissectorial da Economia (ARME) divulgou que os preços máximos dos combustíveis ficaram mais baratos em média 6%…
Moçambique quer angariar USD 80 mil milhões para transição energética

Moçambique quer angariar USD 80 mil milhões para transição energética

Moçambique está a tentar mobilizar 80 mil milhões de dólares americanos para pôr em prática a estratégia de transição energética…