Pandemia mudou hábitos de consumo de álcool

Cientistas da UCL descobriram que o confinamento que derivou da pandemia de covid-19 alterou significativamente os hábitos de consumo de álcool das pessoas, e muitas pessoas estão a beber mais.

Os cientistas descobriram que um terço das pessoas (34,4%) mudou os seus hábitos de consumo de álcool durante os confinamentos. Metade deles (49,1%) relatou que atualmente está a beber mais álcool em relação a março / abril de 2020. Os homens aumentaram mais o consumo de álcool mais relativamente às mulheres, mas os cientistas não encontraram diferenças em termos de idade dos participantes.

No entanto, existem pessoas para quem os confinamentos foram uma oportunidade para deixarem de beber. 40,1% das pessoas que bebiam muito e regularmente ​​diminuíram o consumo de álcool. Este efeito foi ainda mais pronunciado entre pessoas de 18 a 29 anos – 91,5% dos jovens que consumiam muito álcool ​​nessa faixa etária diminuíram o este consumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin