Ciência | Medicina, Saúde e Alimentação

Poluição do ar matou quase meio milhão de bebés no primeiro mês de vida

No ano passado, a poluição do ar causou a morte prematura de quase meio milhão de bebés no seu primeiro mês de vida – a grande maioria em países ‘em desenvolvimento’, segundo um relatório do State of Global Air 2020.

Quase dois terços do meio milhão de óbitos documentados foram associados à poluição do ar interior, em particular, a poluição causada por combustíveis como carvão, madeira e estrume de animais, para cozinhar.

A comunidade médica têm alertado para os impactos do ar poluído nas pessoas mais velhas e nas pessoas com condições de saúde, mas agora começam a compreender o número de mortes de bebés ainda no útero.

“Não compreendemos totalmente quais são os mecanismos nesta fase, mas algo se passa que está a causar reduções no crescimento dos bebés e, em última análise, no peso à nascença. Existe uma ligação epidemiológica, mostrada em múltiplos países em múltiplos estudos”, afirmou Katherine Walker, cientista principal do Health Effects Institute, nos Estados Unidos, que publicou o relatório.

Os bebés nascidos com baixo peso à nascença são mais suscetíveis a infeções e pneumonias.

Os efeitos da poluição do ar têm existido ao longo dos séculos.  No entanto, o problema é agora agravado pela densidade populacional de muitas cidades ‘em desenvolvimento’ e pela poluição do ar exterior, causada pelos veículos e pela indústria.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo