Programa “Detetives das Emoções” ajuda a combater a ansiedade e depressão em crianças

Um estudo piloto realizado por uma equipa da Universidade de Coimbra (UC), indica que o programa de intervenção psicológica vulgarmente conhecido como “Detetives das Emoções” é eficaz no combate à ansiedade e depressão em crianças dos 6 aos 13 anos.

Com o nome científico “Protocolo Unificado para o Tratamento Transdiagnóstico das Perturbações Emocionais em Crianças”, este programa de intervenção foi originalmente desenvolvido nos EUA e destina-se a crianças dos 6 aos 13 anos que apresentem problemas de ansiedade e/ou depressivos clinicamente significativos e respetivos pais. O objetivo da equipa da UC é estudar e validar o programa para a população portuguesa.

Na prática, o programa – composto por 15 sessões semanais em grupo de 90 minutos para pais e filhos – tem como objetivo ajudar as crianças a desenvolverem estratégias para melhor lidarem com as suas dificuldades e emoções difíceis, permitindo assim que progressivamente se sintam menos ansiosas e/ou deprimidas. É conhecido por “Detetives das Emoções” porque, ao longo das sessões, as crianças aprendem diferentes estratégias com a ajuda dos “Detetives das Emoções” Sebastião, Nini, Edgar e Ana, que são as personagens do caderno de atividades da criança. Também os pais aprendem estratégias para melhor poderem ajudar os seus filhos a lidarem com as suas emoções fortes.

Os resultados preliminares do estudo piloto, realizado ao longo do último ano com a participação de mais de 30 crianças e pais, explica Brígida Caiado, doutoranda na UC, sob coordenação das docentes Helena Moreira e Maria Cristina Canavarro, mostram uma «elevada satisfação das crianças e pais com a intervenção, um forte envolvimento destes nas sessões e com melhorias significativas ao nível dos sintomas de ansiedade e depressão das crianças».

Observou-se, detalha, «uma redução de processos psicológicos inerentes à psicopatologia (por exemplo, evitamento; dificuldades na expressão emocional; intolerância às emoções negativas; sensibilidade à ansiedade; afeto negativo e erros cognitivos) e uma promoção de processos psicológicos subjacentes à saúde mental (mindfulness [atenção plena], flexibilidade cognitiva, etc.). Os pais também consideram ter aprendido estratégias úteis para lidar com as dificuldades dos seus filhos, considerando a intervenção uma mais-valia para os seus filhos e para si mesmos».

Agora, a equipa está a levar a cabo um estudo mais alargado que pretende avaliar a eficácia desta intervenção através da comparação com um outro programa de intervenção psicoeducacional para a ansiedade/depressão (ABC das Emoções). Só «através da comparação destes dois grupos, é possível avaliar a eficácia efetiva do programa “Detetives das Emoções: Protocolo Unificado para Crianças”», conclui Brígida Caiado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde: PAICV diz que Porto Novo vive "um dos piores momentos da sua história"

Cabo Verde: PAICV diz que Porto Novo vive "um dos piores momentos da sua história"

O PAICV considera que o município do Porto Novo atravessa “um dos piores momentos da sua história”, devido às “más decisões políticas” do Governo atual. A maior formação…
Portugal usa fundo de 1,2 ME para vítimas de terrorismo em Moçambique

Portugal usa fundo de 1,2 ME para vítimas de terrorismo em Moçambique

Portugal anunciou que vai disponibilizar um fundo de 1,2 milhões de euros, dos setores público e privado, para apoiar as…
Marcelo Rebelo de Sousa recebe mensagem de João Lourenço

Marcelo Rebelo de Sousa recebe mensagem de João Lourenço

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, foi recebido em audiência pelo chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, nesta…
Guiné-Bissau: Falta de resultados no combate à corrupção justificou a demissão do PGR

Guiné-Bissau: Falta de resultados no combate à corrupção justificou a demissão do PGR

A recente demissão de Fernando Gomes das funções de Procurador-Geral da República (PGR) apanhou o país de surpresa, mas justifica-se…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin