Ásia | Medicina, Saúde e Alimentação

UNICEF envia 100.000 seringas destinadas à vacinação contra a Covid-19 para as Maldivas

A UNICEF enviou 100.000 seringas e 1.000 caixas de material de uso único utilizado na imunização contra covid-19 para as Maldivas por via aérea, tendo por origem o armazém humanitário da UNICEF no Dubai. Esta é apenas parte da primeira fase de remessas de seringas relacionadas com a covid-19, que irá continuar nos próximos dias, e que inclui a Costa do Marfim e São Tomé e Príncipe.

As seringas e as caixas de material de uso único, chegou a Malé, nas Maldivas, no passado dia 23 de fevereiro. Nas próximas semanas, a UNICEF enviará mais de 14,5 milhões de seringas de uso único, de 0,5 ml e 0,3 ml, para mais de 30 países, para administrar as vacinas da Institute of India/AstraZeneca e da Pfizer-BioNTech, respetivamente.

Os países que vão receber seringas nesta fase inicial estão incluídos na distribuição definida pela COVAX e fizeram pedidos à UNICEF para fornecimento das mesmas. As seringas de 0,5 ml estão a ser despachadas a partir do armazém humanitário da UNICEF no Dubai, enquanto as seringas de 0,3 ml e 2 ml serão enviadas directamente a partir de um fabricante espanhol. Destas remessas faz também parte o envio de caixas de segurança para o depósito seguro das seringas usadas.

Ambas as seringas são de uso único, o que significa que não podem ser usadas novamente, reduzindo o risco de infecção por doenças transmitidas pelo sangue que decorre da reutilização de seringas.

No total, a UNICEF distribuirá até mil milhões de seringas e 10 milhões de caixas de material de uso único em 2021, com vista a garantir que estejam preparados para uma vacinação ágil e eficaz contra a COVID-19. A UNICEF já criou um stock de cerca de 500 milhões de seringas nos seus armazéns em Copenhaga e no Dubai, preparando a chegada das vacinas em 82 país com baixos níveis de rendimento.

Segundo um comunicado da organização, esta tem trabalhado com companhias aéreas, operadores logísticos e transportadoras para garantir que as seringas sejam tratadas como carga prioritária, sejam estas remetidas directamente de um fabricante ou dos armazéns da UNICEF para o país de destino. Apesar de as primeiras remessas estarem a ser transportadas por via aérea, a maior parte das seringas e caixas de segurança será transportada por via marítima devido ao volume que ocupam.

Recorde-se que mesmo antes da pandemia de COVID-19, a UNICEF já era o maior comprador individual de vacinas do mundo, adquirindo mais de dois mil milhões de vacinas por ano para vacinar quase metade das crianças menores de 5 anos do mundo. Além disso, a UNICEF adquire e fornece anualmente cerca de 600-800 milhões de seringas para programas regulares de imunização.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo