Navio-escola Sagres está a ser equipado para estudar eletricidade atmosférica e alterações climáticas

Está a ser desenvolvida uma plataforma de observação científica no navio-escola NRP Sagres para a recolha de dados sobre a atmosfera e o oceano.

Estes dados serão recolhidos durante a viagem de circum-navegação que a embarcação irá realizar a partir de 5 de janeiro de 2020. Os objetivos? Por um lado, aumentar o conhecimento sobre o clima através do estudo dos efeitos das alterações climáticas no circuito elétrico do planeta, permitindo assim uma melhor previsão da evolução do clima. Por outro, avaliar a saúde do oceano, que tem um impacto significativo ao nível global em setores como as pescas, atividades marinhas ou até mesmo a energia, através da recolha de amostras biológicas (peixes) para análise posterior em laboratório.

O navio-escola NRP Sagres está, neste momento, a ser transformado num verdadeiro laboratório científico que permitirá um estudo pioneiro da eletricidade atmosférica no ambiente marinho e dos efeitos das alterações climáticas.

Esta nova valência do navio está a ser realizada pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), e pela Marinha Portuguesa no âmbito do projeto SAIL (Space-Atmosphere-Ocean Interactions in the marine boundary Layer), que pretende estudar a interação entre o espaço e o planeta Terra, à escala global, através da medição do campo elétrico atmosférico sobre o mar.

A viagem, que terá uma duração de 371 dias, fará a medição do campo elétrico atmosférico, cerca de 100 anos depois das primeiras medições efetuadas a bordo do navio de investigação “Carnegie”.

“Os dados recolhidos no início do século XX permitiram a descoberta da origem global do campo elétrico atmosférico e a sua relação com as tempestades e descargas elétricas no planeta, mas não consideram as alterações climáticas recentes e, em particular, a concentração de aerossóis que hoje influencia significativamente a condutividade atmosférica. Queremos com este projeto fornecer medições do campo elétrico atmosférico no século XXI, atualizar aquela que ficou conhecida por curva Carnegie e compreender o efeito das alterações climáticas nas propriedades elétricas da atmosfera”, explica Susana Barbosa, investigadora do Centro de Sistemas de Informação e de Computação Gráfica do INESC TEC.

A equipa deste projeto multidisciplinar é constituída por especialistas em robótica, engenharia oceanográfica, monitorização geofísica, gestão de informação, fotónica e biologia marinha. “A realização de diversas experiências científicas  no decurso desta viagem de circum-navegação pretendem render uma merecida homenagem à primeira circum-navegação que valorizou e só foi possível, graças ao conhecimento cientifico, em especial da astronomia e náutica, do final do seculo XV e inicio do século XVI”, referiu o capitão-de-fragata Maurício Camilo, comandante do navio-escola NRP Sagres.

O projeto SAIL, que terá a duração de três anos e será liderado pelo INESC TEC, tem como parceiros a Marinha/MDN (CINAV), o AIR Centre (Atlantic International Research Centre), o CIIMAR (Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental) e a Universidade do Minho. Colaboram ainda com este projeto as seguintes instituições estrangeiras: Universidade de Reading, Universidade Federal do Paraná e INESC P&D Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Rússia recusa discutir segurança nuclear em Chernobyl

Rússia recusa discutir segurança nuclear em Chernobyl

A Rússia rejeitou nesta segunda-feira, 07 de março, a proposta da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) para uma reunião…
Moçambique: INSS apela a contribuintes da empresa Dougongo Cimentos a aderir ao uso do sistema on-line

Moçambique: INSS apela a contribuintes da empresa Dougongo Cimentos a aderir ao uso do sistema on-line

A brigada da Delegação distrital do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) de Matutuine, na província de Maputo, deslocou-se, na…
Cabo Verde: Walter Barros luta contra a criminalidade com o projeto “Believe”

Cabo Verde: Walter Barros luta contra a criminalidade com o projeto “Believe”

O projeto “Believe”, foi criado dentro da cadeia de são Martinho pelo Walter Barros, em novembro de 2017 depois de…
Guiné Equatorial acolhe delegação da CPLP

Guiné Equatorial acolhe delegação da CPLP

Uma delegação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) aterra na Guiné Equatorial esta segunda-feira, 07 de março, segundo…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin