Nível elevado de insegurança alimentar no Sudão do Sul na primeira metade de 2017

O Sudão do Sul vai registar níveis muito elevados de insegurança alimentar na primeira metade do ano, segundo o relatório publicado no passado dia 31 de dezembro pela Famine Early Warning Systems (FEWS Net), uma entidade que alerta para situações de emergência e segurança alimentar.

Extremamente afetado por conflitos, o acesso a comida no Sudão do Sul será menor do que o normal devido à fraca produção e à consequente subida de preços. Também de acordo com o relatório, mais de 50% da população do estado de Unity já teve que ser deslocada, e no último mês vão ter que se deslocar ainda mais devido aos contínuos conflitos em Mayendit, Rubkona e Leer. Por isso, a FEWS Net prevê também que a necessidade de ajuda humanitária continue a crescer.

A situação de guerra que assola o país desde dezembro de 2013, já forçou cerca de 2,5 milhões de pessoas a deslocar-se, para além das milhares de mortes que se registam provocadas pelos diversos conflitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Angola mantém aposta na diplomacia económica

Angola mantém aposta na diplomacia económica

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, reiterou a aposta do Governo na promoção da diplomacia económica. O…
Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

A Investigadora Principal do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC), Ana Cristina Santos, acaba de ganhar um…
Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, propõe a criação de um Fundo de Desenvolvimento Local e…
Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

O chefe da missão de observação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições presidenciais em Timor-Leste, o…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin