China proíbe mineração e transações com criptomoedas no país

O banco central da China intensificou hoje o seu discurso contra as bitcoins, declarando ilegais todas as atividades de moeda digital e prometendo reprimir o mercado.

Numa declaração publicada no seu site, o Banco Popular da China disse que os serviços que oferecem negociação, combinação de pedidos, emissão de tokens e derivativos para moedas virtuais são estritamente proibidos. Trocas de criptomoedas no exterior de empresas que fornecem serviços na China continental também são ilegais, disse o PBOC.

“As trocas de moeda virtuais no exterior que usam a Internet para oferecer serviços a residentes domésticos também são consideradas atividades financeiras ilegais”, refere o PBOC. Pessoas que utilizem criptomoedas estrangeiras serão investigados, acrescentou.

O PBOC disse que também melhorou os seus sistemas para intensificar o monitorização de transações relacionadas à criptomoeda e eliminar os investimentos especulativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin