Cidades podem ser autossustentáveis ​​através de energia solar totalmente integrada

Um novo modelo, numa escala que varia de estruturas individuais, a bairros ou uma cidade inteira, mostrou que os edifícios na cidade de Melbourne poderiam fornecer 74% das suas próprias necessidades de eletricidade se a tecnologia solar fosse totalmente integrada em telhados, paredes e janelas.

Publicada na revista Solar Energy, a investigação, liderada por membros do ARC Centre of Excellence in Exciton Science sediado na Monash University, em conjunto com colaboradores da Universidade de Lisboa, é a primeira do género em todo o mundo a modelar a viabilidade e impacto da energia fotovoltaica integrada em janela, juntamente com outras tecnologias solares, numa escala de cidade.

Ganhos adicionais poderiam ser obtidos através da implantação generalizada de “janelas solares” emergentes e altamente eficientes e tecnologia fotovoltaica integrada em fachadas de edifícios.

Os investigadores esperam que, usando a modelagem que desenvolveram, os formuladores de políticas, fornecedores de energia, empresas de construção e proprietários de edifícios sejam capazes de otimizar o potencial fotovoltaico de estruturas novas e existentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin