COP26: Criada iniciativa para construir “a primeira” rede solar transnacional do mundo

Na conferência climática COP26 das Nações Unidas, que começou esta semana, 80 países endossaram planos para criarem a primeira rede transnacional de energia solar do mundo, liderada pelo Reino Unido e pela Índia.

A Iniciativa Green Grids busca conectar 140 países para obter energia limpa e renovável e reduzir a dependência do carvão. Como parte da iniciativa, a International Solar Alliance pretende mobilizar 1 trilhão de dólares em financiamento até 2030 para ajudar os países em desenvolvimento a expandir suas redes de energia solar.

“O que queremos … é utilizar essas invenções, essas descobertas, e obter o financiamento e o apoio de que precisam para garantir que sejam disseminados por todo o mundo”, disse o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

O presidente dos EUA, Joe Biden, expressou apoio à iniciativa no seu discurso no lançamento da COP26.

“Temos que expandir as tecnologias limpas que já estão disponíveis comercialmente e têm custos competitivos, como a energia eólica e solar”, disse Biden.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin