Descarbonização exigirá aumento de exploração de metais de terras raras

Uma nova pesquisa sugere que a procura por matérias-primas e metais de terras raras pode aumentar em 500%, a fim de fornecer as tecnologias de baixo carbono necessárias para descarbonizar a economia mundial.

A missão global de atingir as metas ambientais para descarbonizar resultará em maiores níveis de mineração de matérias-primas, pelo aumento da procura de grafite, cobalto e lítio.

Este é o veredicto de especialistas, incluindo Richard Herrington, diretor do Museu de História Natural, num artigo de publicado recentemente, onde destaca que as tecnologias verdes geralmente requerem matérias-primas não renováveis ​​para a sua construção.

Herrington refere também que esses materiais precisarão ser minerados ou reutilizados e reciclados. Embora o objetivo seja adotar uma abordagem de economia inteiramente circular, o mundo “não está nem perto” de alcançá-lo, adverte o especialista em ciências da Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin