Energia eólica pode travar aquecimento global

A implementação de cenários avançados de energia eólica poderia atingir uma redução nas temperaturas médias atmosféricas do aquecimento global de 0,3 a 0,8 graus Celsius até o final do século, de acordo com novos estudos.

“A ação antecipada vai colher frutos”, disse Rebecca Barthelmie, professora da Escola Sibley de Engenharia Mecânica e Aeroespacial. “Em termos de evitar o pior das alterações climáticas, o nosso trabalho confirma que acelerar a implantação da tecnologia de energia eólica é uma parte lógica e económica da estratégia necessária. Esperar mais tempo significará que ações mais drásticas serão necessárias.”

Barthelmie e Sara C. Pryor, do Departamento de Ciências da Terra e Atmosféricas da Universidade Cornell, foram os autores do estudo publicado na revista Climate. No entanto, e apesar das suas conclusões, os investigadores salientam que para evitar desastres ambientais, outras estratégias de redução de gases de efeito estufa também têm de ser implementadas.

Os recursos eólicos globais excedem a procura atual de eletricidade, disse Pryor, e o custo da energia das turbinas eólicas diminuiu drasticamente. “Faz todo o sentido implantar rapidamente a energia eólica como parte fundamental da descarbonização no fornecimento de eletricidade”, disse ela.

A indústria global de energia eólica está a crescer. Desde 2005, a capacidade instalada total de energia eólica global mostra uma taxa de crescimento anual de 14% para a Ásia, Europa e América do Norte. A produção global de eletricidade eólica expandiu de 104 terawatts-hora (um trilhão de watts por uma hora) em 2005 para 1.273 terawatts-hora em 2018.

Em 2019, a energia eólica gerou aproximadamente 6,5% dos 26.600 terawatts-hora da procura global de eletricidade. Seis países estão a gerar mais de 20% da sua procura, enquanto o Reino Unido, Alemanha e Espanha estão perto de atingir 20% da procura de eletricidade com energia eólica. A China informou que cerca de 5% de seu fornecimento de eletricidade vem da energia eólica.

Os Estados Unidos geram 8,4% de sua eletricidade a partir do vento, a partir de 2020, com seis estados (Texas, Iowa, Oklahoma, Califórnia, Kansas e Illinois) a conter mais da metade da capacidade de energia eólica, de acordo com a US Energy Information Administration.

As turbinas eólicas estão agora instaladas em 90 países, disse Barthelmie, gerando cerca de 7% da eletricidade global, e a expansão da capacidade instalada de energia eólica continua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin